Você já ouviu falar sobre a andropausa? Conhecida como a menopausa masculina, essa condição afeta especialmente os homens acima dos 40 anos de idade.

Ao contrário do que a maioria da população imagina, não são apenas as mulheres que sofrem com os sintomas das quedas hormonais com o avançar da idade. Nos homens, as taxas de testosterona, o hormônio sexual masculino, começam a cair.

Já está provado que os homens também são afetados por problemas semelhantes, os quais manifestam alguns sintomas desagradáveis quando estão nessa situação.

Quer descobrir mais sobre a andropausa? Continue a leitura e confira quais são os principais pontos sobre ela.

Causas da andropausa

Com o avançar da idade, ocorre uma queda natural da síntese de testosterona pelo organismo dos homens. No entanto, mesmo com a produção mais baixa, os níveis do hormônio sexual masculino continuam dentro da faixa da normalidade e a fertilidade não é encerrada. Portanto, a andropausa é um processo bem mais leve que a menopausa feminina.

Em alguns casos, a queda da testosterona pode ocorrer a partir dos 35 anos, como se fosse uma menopausa precoce. Essa situação está muito relacionada com a genética e hereditariedade, mas também com hábitos de vida. Entre os principais fatores desencadeantes da andropausa estão:

  • obesidade;
  • hipertensão;
  • diabetes tipo 2;
  • estresse;
  • tabagismo e alcoolismo;
  • disfunções tireoidianas;
  • insuficiência renal;
  • medicamentos que afetam os testículos.

Sintomas da andropausa

Ao contrário da menopausa, a andropausa não possui sintomas tão marcantes como as fortes ondas de calor que surgem após a interrupção da menstruação. Confira quais são os sintomas mais comuns nessa fase:

  • indisposição e muito cansaço;
  • queda de pelos e cabelos;
  • alterações no humor e irritabilidade;
  • diminuição da libido;
  • disfunção erétil.

Além disso, durante a andropausa, os homens também apresentam maior tendência em perder massa muscular e óssea, assim como acumular gordura na região abdominal.

Tratamento da andropausa

Tratar a andropausa é muito fácil: basta procurar um médico endocrinologista para que ele diagnostique sua condição por meio de dosagens sanguíneas e prescreva um tratamento de reposição hormonal. Assim, a testosterona é aplicada no organismo por injeções ou adesivos transdérmicos. Além disso, o médico pode optar por um tratamento com medicamentos que estimulam a produção de testosterona pelos testículos.

O tratamento é indicado para todos os homens que sofrem com os sintomas da andropausa, exceto aqueles que estão em tratamento de câncer de próstata ou mama. Ademais, pacientes com condições descontroladas de apneia do sono, epilepsia ou insuficiência cardíaca também possuem o tratamento contraindicado.

É fundamental que, durante a reposição hormonal, os níveis sanguíneos de testosterona sejam acompanhados por meio de exames laboratoriais. Os resultados devem estar sempre dentro da faixa recomendada — ou seja, para evitar efeitos colaterais, o hormônio nunca deve ser aplicado em excesso.

Mudanças de hábitos também são medidas importantes e complementam o tratamento medicamentoso. Como os homens que estão na andropausa podem perder massa muscular e aumentar a porcentagem de gordura abdominal, é recomendado que a dieta seja equilibrada e rica em fontes de proteína, além da prática regular de atividades físicas.

A testosterona é um dos principais hormônios sexuais masculinos e a sua queda é o que define a andropausa. Essa condição afeta os homens principalmente nas idades mais avançadas, os quais manifestam sintomas como cansaço excessivo, irritabilidade e problemas na ereção. Um ponto positivo, no entanto, é que existe tratamento. Portanto, consulte um médico se você está nessa condição e recupere o seu bem-estar e qualidade de vida!

Gostou do nosso conteúdo? Ficou com alguma dúvida ou tem alguma opinião sobre o assunto? Então deixe o seu comentário abaixo!

 


Escreva um comentário

Share This