Mulheres com ansiedade e depressão.

Ansiedade e depressão: principais causas, diferenças e peculiaridades!

Não dá para negar que o mundo moderno e a tecnologia disponível trouxeram uma série de facilidades para a vida das pessoas, sobretudo para quem vive nos grandes centros urbanos. No entanto, isso também cobra o seu preço e, sem sombra de dúvidas, vivemos uma espécie de epidemia de ansiedade e depressão.

Isso pode ocorrer por uma série de motivos, que vão desde hábitos ruins na rotina, passam pelo excesso do uso de recursos de computação e culminam em relações sociais fracas, muitas vezes prejudicadas pelo foco excessivo no trabalho. Continue lendo o conteúdo abaixo e tire todas as suas dúvidas neste guia completo!

O que é a depressão

A depressão é um transtorno afetivo que atinge milhões de pessoas ao redor do mundo todos os anos, envolvendo o humor e os pensamentos do portador. O quadro se caracteriza, sobretudo, pela diminuição do interesse e do prazer pela vida, gerando sentimentos negativos como tristeza, melancolia, angústia e prostração.

Mulher sentada sozinha olhando pela janela.
A depressão tende a incapacitar e desinteressar a pessoas de tarefas que antes eram prazerosas.

Vale lembrar que, ao contrário do que muita gente pensa, os distúrbios depressivos não estão relacionados com a personalidade e não são considerados uma fraqueza pessoal. Na realidade, isso é fruto de um desequilíbrio na bioquímica cerebral, como a redução na produção de neurotransmissores ligados à sensação de bem-estar, por exemplo, a serotonina.

Por isso mesmo, realizar um tratamento adequado, multidisciplinar e com orientação médica é, sem dúvidas, o caminho mais recomendado para quem sofre com o problema. Quanto mais cedo isso for feito, maiores as possibilidades de um resultado positivo e menor será a probabilidade de sofrer com a reincidência da doença.

Quais os principais sintomas da depressão

Agora que você já aprendeu um pouco mais sobre a doença, vamos falar sobre os principais sintomas da depressão e de que maneira eles atingem as pessoas doentes. Vale ressaltar que o transtorno não deve ser confundido com sentimentos de tristeza, visto que é duradouro e, muitas vezes, não tem uma causa específica. Confira.

Sensação de vazio ou tristeza 

Um dos principais e mais clássicos sintomas da depressão é a sensação de vazio ou tristeza profunda. Isso faz com que a pessoa que sofre com o transtorno possa apresentar características como tronco curvado e olhar perdido. Ela também pode ter crises de choro com facilidade, com falas voltadas para o pessimismo e sentimento de culpa.

Isso reforça uma percepção de inutilidade e a vontade de isolamento, até mesmo dos melhores amigos e parentes mais próximos. Trata-se de uma amargura diferente da que seria considerada “normal”, uma vez que não apresenta melhoras, mesmo com a adoção de atitudes que, via de regra, aliviariam o quadro.

Cansaço e falta de energia

Outro sintoma muito comum entre pessoas que sofrem com a depressão é o cansaço. Ele se apresenta mesmo na realização de atividades diárias, e é fácil perceber que pessoas deprimidas, na maioria das vezes, sequer encontram forças para levantarem da cama. Esse é um sinal clássico, que merece ser sempre avaliado com cuidado.

Mulher deitada na cama.
Mulher com depressão sem vontade de sair da cama.

A falta de energia é constante e pode se agravar à medida que o transtorno evolui, até mesmo por conta dessas alterações na bioquímica cerebral, pois os neurotransmissores que estão em baixa são cruciais para dar ânimo e disposição. Mesmo situações que eram motivo de alegria, como reuniões sociais ou festas, passam a gerar consternação.

Ciclo circadiano irregular

Você já deve ter ouvido médicos ou demais profissionais de saúde falando que temos uma espécie de relógio biológico no nosso organismo: o ciclo circadiano. É ele que faz com que a gente sinta fome nos mesmos horários, tenha sono à noite, acorde pela manhã e programa nosso metabolismo para que funcione de determinada maneira.

Mulher sentada na cama com possível quadro de depressão.
A depressão pode provocar problemas como insônia.

Em pessoas com depressão, nada disso funciona bem. É comum que quem sofre com esse transtorno apresente problemas de insônia e, mesmo que durma com facilidade, acabe acordando de madrugada e não consiga retornar para a cama. Isso só reforça a situação, aumentando o cansaço e a sensação de que algo está errado no organismo.

Pensamentos negativos

Uma pessoa que esteja sofrendo com um transtorno de depressão tende a ter, boa parte das vezes, pensamentos negativos recorrentes, com ideações suicidas ou não. Eles invadem a mente e minam qualquer resquício de autoestima e autoconfiança. O sentimento é de que não vale a pena estar vivo e prolongar todo esse sofrimento.

O suicídio pode ser encarado como uma espécie de “solução” para escapar da situação em que a pessoa se encontra, desconsiderando todo o impacto que isso traria para a família e os amigos. A ajuda profissional é crucial nesse aspecto, pois ajuda a tratar a mente que está doente e a trazer uma perspectiva melhor do quadro como um todo.

Falta de autocuidado

Quem sofre de depressão acaba tendo desinteresse por praticamente tudo, e isso, logicamente, se reflete na falta de autocuidado. A autoestima fica em um nível tão baixo que, muitas vezes, mesmo alguém que sempre se manteve apresentável ou vaidoso pode mudar totalmente esse comportamento, perdendo o interesse pela vida.

Há uma tendência ao isolamento e a necessidade de abandonar os estudos ou o trabalho. Isso é ainda mais nocivo porque, eventualmente, os colegas da escola, faculdade ou do emprego poderiam ajudar no diagnóstico, percebendo que algo está errado com a pessoa e auxiliando na busca pelo tratamento mais adequado para a situação.

Abuso de álcool e drogas  

Com todos esses sintomas e o sentimento de tristeza profunda e recorrente, não é de se espantar que algumas pessoas que sofrem com a depressão acabem apresentando abuso de substâncias que alteram a percepção da realidade, como álcool e drogas. A questão é que, na maioria das vezes, isso só acaba piorando o problema.

Pessoas consumindo bebida alcoólica.
Pessoas com depressão podem fazer o uso abusivo de bebidas alcoólicas.

O uso vem com o intuito de minimizar uma angústia profunda e a necessidade de sentir alegria, desligando-se dos sentimentos negativos. No entanto, além do risco de dependência química e overdose, isso pode mexer com a química cerebral, desequilibrando ainda mais os neurotransmissores e tornando o transtorno ainda mais grave.

Você reconhece os sintomas da depressão em você ou em alguém? No BoaConsulta você encontra os melhores Psicólogos e Médicos psiquiatras especialistas em depressão, agende sua consulta online e seja atendido por videochamada ou presencialmente.

Como identificar a depressão

Embora a depressão apresente sintomas bastante claros, como você pôde ver acima, nem sempre é fácil identificar o problema, até mesmo porque boa parte das pessoas que sofre com o quadro pode tentar escondê-lo e não terá o ímpeto de expressar seus sentimentos com os outros. Por isso, é muito importante ter olhos bem atentos.

Caso você perceba em você mesmo ou em algum familiar a manutenção de uma tristeza profunda e sem melhora, com dificuldades em realizar atividades rotineiras e diminuição no autocuidado, vale a pena procurar por ajuda médica. Afinal, não ter acesso ao tratamento adequado pode ser pior que o próprio transtorno.

Trata-se de um quadro que interfere em todos os aspectos da vida e faz com que o indivíduo se afaste das pessoas que ama, não se concentre nos estudos ou trabalho e se sinta cansado, mesmo que não haja motivos para isso. Para evitar o agravamento, é essencial diagnosticar a depressão e iniciar o processo de cura quanto antes.

O que é a ansiedade

Assim como a depressão, a ansiedade é um quadro que pode ser caracterizado por preocupação excessiva ou expectativa apreensiva do futuro, trazendo medo intenso em situações cotidianas. Quando isso ocorrer de maneira recorrente e influenciar no dia a dia da pessoa, pode ser um indicador de que há uma doença subjacente.

Eventualmente, se sentir ansioso é comum e faz parte da fisiologia, especialmente quando existem razões para isso. No entanto, quando não há motivos razoáveis e qualquer situação for considerada intimidadora, pode estar havendo o chamado transtorno de ansiedade generalizada, que é um distúrbio mental bastante incômodo. 

Mulher com ansiedade colocando as mãos no rosto.
A ansiedade é um quadro psicológico que gera reações exageradas diante de situações do cotidiano.

Assim como ocorre em pessoas deprimidas, o tratamento adequado, multidisciplinar e com orientação médica é o caminho mais recomendado para melhorar o problema como um todo. E, mais uma vez, quanto mais cedo isso for feito, maiores serão as possibilidades de um resultado positivo e menores as de reincidência da doença.

Quais os principais sintomas da ansiedade

Depois de aprender mais sobre os conceitos de depressão e os seus principais sintomas, vamos fazer o mesmo com o quadro de ansiedade, ajudando-o a perceber quando você mesmo ou alguém próximo possa sofrer com o problema. Continue lendo e veja abaixo alguns sinais clássicos do transtorno.

Medo intenso e nervosismo

Um dos principais sintomas da ansiedade é sentir medo e nervosismo, que podem ser desencadeados por alguma situação estressante ou não. O fato é que se sentir ansioso é algo que, eventualmente, acaba sendo comum a qualquer pessoa, mas o transtorno começa a se manifestar quando isso ocorre mesmo sem alguma razão específica.

Mulher com transtorno de ansiedade em publico.
O transtorno de ansiedade se caracteriza pelo medo excessivo desnecessário.

Como resultado, o organismo entende que estamos sob iminente perigo e se prepara para “enfrentá-lo”, resultando em uma sensação de tremor ou mesmo de espasmos. Na maioria das vezes, isso é mais perceptível em mãos e pernas, mas outras partes do corpo também podem ser atingidas, resultando nos chamados tremores psicogênicos.

Dor no peito e taquicardia

Dor no peito e taquicardia, que é o aceleramento dos batimentos do coração, estão entre os sintomas físicos mais comuns da ansiedade e também costumam assustar bastante. Afinal, a sensação não é nada agradável e pode surgir sem aviso prévio, principalmente quando a pessoa está passando por uma situação nova ou estressante. 

Pessoas durante crises de pânico e ansiosas.
Pessoas com crise de ansiedade podem sentir dor no peito e taquicardia.

Essa acaba sendo uma razão de muitas consultas ao cardiologista, por se assemelhar aos sintomas de infarto, mas os exames acabam não mostrando nenhuma anormalidade, e o médico pode atribuir o problema a “razões emocionais”. Tudo ocorre porque o organismo libera adrenalina nessas situações e ela eleva a frequência cardíaca.

Respiração ofegante ou falta de ar

Da mesma forma que a ansiedade pode predispor a uma dor no peito ou taquicardia, ela pode ocasionar respiração ofegante e falta de ar na pessoa. Esses também podem ser sintomas associados à liberação excessiva de adrenalina, principalmente em situações que possam ser consideradas estressantes e aterrorizantes para a pessoa ansiosa.

Por se tratar de uma função automática do nosso corpo, sequer a percebemos quando respiramos. No entanto, quando ansiosos, podemos sair desse padrão, com respirações curtas na chamada hiperventilação. Dessa forma, acabamos reduzindo drasticamente a presença de dióxido de carbono no sangue, podendo causar tremores e tonturas.

Sudorese excessiva

É normal que a gente sue um pouco mais em dias de muito calor, depois de fazer uma atividade física ou mesmo após comer alimentos muito apimentados, não é mesmo? No entanto, quem sofre com ansiedade pode ter sudorese excessiva sem precisar de nenhuma dessas situações, gerando um tremendo desconforto.

A preocupação, a inquietação e o nervosismo constante acabam sendo um poderoso estimulante para o suor, que também está relacionado com os níveis de adrenalina no corpo. O transtorno nos deixa em estado de alerta constante, e isso pode afetar ainda mais a autoestima e a autoconfiança da pessoa ansiosa. 

Náuseas, diarreias e vômitos

Quando estamos muito ansiosos, podemos perceber que nosso estômago fica embrulhado e que ficamos mais propensos a nos sentir enjoados, com tendência a náuseas, diarreias ou mesmo vômitos. São situações comuns quando enfrentamos algum temor mais forte e, via de regra, perduram até que o medo passe.

sintomas da ansiedade
Náuseas e vômitos podem ser um sintoma de ansiedade.

Em longo prazo, esse pode ser um fator desencadeador de outros problemas, como gastrite e desequilíbrio na flora intestinal, que vem se mostrando cada vez mais importante para o equilíbrio orgânico do ser humano. Isso ocorre porque cérebro e intestino estão intimamente ligados e ambos participam da produção de neurotransmissores.

Tensão e dores musculares

Naturalmente, a ansiedade é intimamente relacionada com a tensão muscular e a presença de dores espalhadas pelo corpo. Afinal, os sentimentos de medo, estresse e inquietude deixam a pessoa tensa, e isso se reflete em uma musculatura constantemente enrijecida, como uma forma de deixar a pessoa preparada para situações de “luta ou fuga”.

É importante ressaltar que o uso excessivo de medicamentos analgésicos e relaxantes acaba sendo muito comum em pacientes com o quadro de ansiedade, pois ela pode ser incapacitante quando mais grave. No entanto, o uso de remédios, por mais necessários que eles possam parecer no momento, não deve ser feito sem a orientação de um médico.

Precisa de ajuda para diagnosticar e tratar o transtorno de ansiedade? Aqui no BoaConsulta você encontra os melhores psicólogos especialistas em ansiedade, agende sua consulta online ou presencial.

Como identificar a ansiedade

Diferenciar a situação de estar ansioso de um transtorno de ansiedade pode ser um pouco difícil, mas existem maneiras de distinguir uma reação fisiológica normal de um quadro patológico. Uma dica importante é observar a intensidade e o fator desencadeador, pois tendemos a nos acalmar com o passar de algum tempo, mesmo em situações severas.  

Se você experimenta sentimentos negativos com muita frequência, sobretudo de medo, apreensão e pânico, é preciso estar atento, sobretudo se eles afetarem a saúde do corpo físico. Tremores, dores musculares e taquicardia também merecem atenção especial, principalmente se ocorrem sem um motivo aparente.

Lembre-se de que a ansiedade pode surgir tanto em adultos quanto em crianças, mas os pequenos costumam ter mais dificuldades para explicar o que estão sentindo. É comum que vários desses sintomas surjam concomitantemente, e você pode fazer exercícios de respiração para manter a tranquilidade, mas a ajuda profissional tende a ser imprescindível.

Quais as principais causas da depressão e ansiedade

A depressão e a ansiedade podem surgir sem um motivo aparente, mas existem situações que fazem com que os transtornos se manifestem com maior frequência. O estresse constante, definitivamente, é uma delas, bastante comum nos dias de hoje, nos quais sofremos com a pressão por resultados no trabalho ou mesmo nos estudos. 

Problemas financeiros também são uma causa constante de distúrbios de origem mental, principalmente quando há perda do emprego, dívidas aumentando, algum gasto inesperado ou uma combinação de alguns desses fatores. Isso pode desencadear ou reforçar quadros de insônia, falta de confiança, baixa autoestima, cansaço excessivo e assim por diante.

Grandes mudanças na vida também podem estar entre as principais causas da ansiedade e da depressão. Quem nunca viu alguém que se aposentou ou terminou um relacionamento e ficou seriamente afetado? Completam esse cenário a necessidade de aprovação social, a falta de tempo para o lazer e problemas familiares ou de saúde. 

Quais as principais diferenças entre depressão e ansiedade

Como vimos, depressão e ansiedade têm várias similaridades entre si, e é bastante comum que alguém depressivo também possa estar ansioso. Por isso, fazer o diagnóstico correto pode ser uma tarefa complexa e desafiadora, exigindo um profissional experiente e que procure conhecer o histórico familiar, as experiências passadas e outros detalhes da pessoa.

O ambiente no qual o paciente vive também merece atenção, visto que, como aprendemos acima, ele pode ter influência na saúde mental de qualquer indivíduo. Somente depois de analisar todos esses fatores é que o médico poderá indicar a conduta e o tratamento mais adequado, que pode envolver medicações, psicoterapia e mudanças no estilo de vida.

Quais os principais tratamentos para as doenças

São vários os tratamentos disponíveis nos dias de hoje e, certamente, existem etapas de tratamento contra depressão e ansiedade que precisam ser respeitadas. São quadros complexos, que não se resolvem em poucos dias e precisam de atenção constante. Porém, uma coisa é fato: o primeiro passo é buscar ajuda.

Muita gente fica com vergonha ou simplesmente não tem ânimo para se tratar, mas são transtornos que apresentam boas respostas, sobretudo com um diagnóstico mais precoce, com uma conjunção do acompanhamento psicológico e o psiquiátrico, que tende a usar medicamentos para amenizar os sintomas ansiosos e depressivos ao mesmo tempo.

É preciso reforçar que o paciente tem um papel ativo nesse processo, devendo investir na sua sociabilidade, na prática de exercícios físicos, em uma alimentação balanceada e em uma rotina de sono saudável. São hábitos que reforçam a sensação de prazer e bem-estar, ajudando a acalmar e combater o estresse físico e mental.

Como evitar a depressão e a ansiedade

Os transtornos de depressão e ansiedade podem surgir de repente, em resposta a situações orgânicas que alteram a produção adequada de neurotransmissores. Existem questões que não são completamente elucidadas pela ciência e podem envolver fatores genéticos, mas o fato é que existem algumas dicas que ajudam a evitar tais quadros. 

Uma dica muito importante é compartilhar as suas emoções, pois a tristeza profunda e o medo tendem a ser reforçados com o isolamento social. Não se distancie de amigos ou entes queridos e tente manter uma rotina saudável e ativa. Além disso, em caso de algum sintoma, não hesite em procurar por ajuda especializada.

Quais as principais influências da pandemia na saúde mental

Não é novidade para ninguém que a manutenção da saúde mental em tempos de pandemia virou um grande desafio. O novo coronavírus desafiou a sociedade e impactou praticamente todos os indivíduos do planeta, nas mais diversas esferas. O próprio âmbito financeiro, com a crise e o desemprego decorrente, já predispõe à ansiedade e depressão.

Muitos empregos acabaram e diversos negócios tiveram que ser interrompidos, mas isso não foi tudo. Houve uma imposição de isolamento e distanciamento social que atrapalhou relações e fez com que nós ficássemos confinados em espaços pequenos, o que é bastante difícil, principalmente para quem tem qualquer tipo de predisposição a algum distúrbio psíquico.

Qual a importância de um acompanhamento especializado

Por fim, para terminar este guia completo sobre ansiedade e depressão, temos que reforçar a importância de um acompanhamento especializado. Profissionais que estão habituados com esse tipo de transtorno podem ser muito valiosos para seus pacientes, proporcionando um diagnóstico precoce e a conduta mais assertiva.

Além disso, a tecnologia vem oferecendo opções interessantes, mesmo em tempos de pandemia. Nos dias de hoje, você pode agendar sua consulta médica pela internet ou mesmo ter o seu atendimento de psicologia através de teleconsulta. Para quem tem algum tipo de fobia ou apenas não quer sair de casa, é uma forma prática e eficaz de receber tratamento.

Médica atendendo paciente através da internet.
Médica realizando atendimento através da internet por meio da telemedicina.

Como você pôde ver em nosso guia completo sobre ansiedade e depressão, esses distúrbios são muito mais frequentes do que muita gente pensa e podem afetar consideravelmente a vida das pessoas que sofrem com eles. Por isso, se você tem ou conhece alguém que tenha esses sintomas, não hesite em procurar por ajuda especializada.

Gostou de aprender um pouco mais sobre ansiedade e depressão? Então que tal compartilhar este conteúdo em suas redes sociais.

Se você estivar sentindo algo diferente em seu corpo, lembre-se que aqui no BoaConsulta você encontra os melhores médico clínicos gerais, para consultas presenciais ou online!

Histórias recentes

Postagens similares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.