Talvez você enfrente ou já tenha enfrentado problemas para se levantar de manhã e lutou com o despertador várias vezes. Ou, quem sabe, teve o rendimento prejudicado quando precisou realizar alguma obrigação no final da tarde. Saiba que isso não é por acaso: a maneira como seu corpo responde aos estímulos externos varia de acordo com a hora do dia e é determinada pelas características de seu organismo.

Há quem se sinta mais produtivo durante a noite, quem goste de acordar cedo e até mesmo quem prefira realizar suas atividades durante a madrugada. Essa variação pode ser explicada por meio do biorritmo. Entender esse conceito ajuda a orientar sua rotina e garante que você tenha um rendimento melhor em suas obrigações.

Bateu aquela curiosidade? Então, é só acompanhar este texto para entender o que é biorritmo, sua importância e como melhorá-lo.

O que é biorritmo e qual sua importância?

O conceito de biorritmo começou a ser estudado por volta de 1870, primeiramente pelo Dr. Wilhelm Fliess, na Academia de Ciências de Berlim, seguido por Hermann Swoboda, psicólogo e professor na Universidade de Viena (Áustria), em 1897.

A junção dos estudos de ambos os cientistas permitiu determinar um ciclo físico de 23 dias e um ciclo emocional de 28 dias. Posteriormente, Sigmund Freud — sim, o “pai’ da psicanálise —se interessou pelo assunto e deu sua colaboração para o processo, determinando também um clico intelectual, que teria duração de 33 dias.

Os ciclos citados podem ser divididos em metades, formadas por dias positivos e negativos. No ciclo físico, são afetados aspectos corporais, como músculos, imunidade e digestão; no emocional, pontos relacionados a criatividade, saúde mental, humor e sensibilidade; e, por fim, no ciclo intelectual, são afetadas memória, raciocínio, reflexos, concentração e agilidade. Basicamente, você terá dias em que estará ou não disposto, feliz e produtivo.

Mas, saindo um pouco de toda essa teoria, podemos definir o biorritmo também como relógio biológico. A que horas você acordaria se não contasse com a ajuda do despertador? Essa é uma maneira de observar o funcionamento de seu organismo.

De acordo com os horários que você dorme e desperta, é possível determinar em quais momentos do dia terá mais produtividade. Por exemplo, alguém que acorda cedo normalmente tem dois picos de concentração, um durante a metade da manhã e outro algum tempo depois do almoço.

Tendo como base o conhecimento dos ciclos de seu organismo e entendendo seu biorritmo, é possível adequar as demandas aos horários de maior rendimento. Além disso, fica mais fácil entender por que em alguns dias você se sente melhor que em outros, o que permite criar estratégias para lidar com os períodos negativos.

Como melhorar o biorritmo?

Apesar de ser geneticamente definido, o biorritmo pode ser condicionado ou afetado de acordo com o estilo de vida e hábitos da pessoa. É possível notar, por exemplo, a mudança no relógio biológico de quem fica exposto a uma situação específica e repetitiva, como quando alguém se acostuma a acordar cedo devido à rotina de trabalho.

Entretanto, algumas atitudes podem impedir que seu corpo padronize as funções fisiológicas, como não ter regularidade no sono. Para ajudar a melhorar seu biorritmo, separamos algumas dicas essenciais.

Fazer exercícios físicos

O primeiro passo para melhorar o biorritmo é garantir que seu corpo esteja saudável e, para isso, é fundamental praticar exercícios físicos regularmente. Ao trabalhar a musculatura, o ciclo físico é afetado positivamente, impulsionando os dias em que você estará mais disposto. No entanto, é necessário que a prática esteja adequada às necessidades do corpo.

Algo que poucas pessoas sabem é que não é aconselhável realizar exercícios antes do horário de dormir. Isso porque a produção de adrenalina e cortisol segue uma tendência contrária ao fluxo noturno do organismo, já que durante a noite o corpo está se preparando para uma pausa nas atividades, e os exercícios podem criar uma agitação que atrapalha o sono.

Por isso, o ideal é se exercitar pela manhã ou pela tarde, de preferência em um horário fixo, para que o organismo identifique um ritmo em suas atividades.

Manter uma alimentação balanceada

Alimentar-se adequadamente também é um ponto fundamental para manter as funções corporais reguladas. Aqui, vale citar que é importante evitar o consumo de alimentos extremamente calóricos, sobretudo aqueles ricos em gordura, que podem elevar o colesterol. Além disso, é fundamental considerar o índice de sódio presente em suas refeições, evitando alimentos com grandes quantidades desse elemento.

Também é importante ter atenção aos horários de sua alimentação e tentar criar uma rotina para as refeições. É preciso ter cuidado principalmente com os alimentos consumidos antes de dormir, já que açúcar em excesso, nesse momento, pode resultar na desregulação de sono e predispor problemas de sobrepeso. A melhor opção é optar por refeições de fácil digestão, como salada, sanduíche ou sopa.

Dormir e acordar em horários fixos

Quando você mantém uma regularidade no horário em que dorme e acorda, o relógio biológico tende a funcionar melhor. O mais aconselhável é dormir mais cedo para, por consequência, acordar também um pouco mais cedo, até porque a vida contemporânea exige que as pessoas estejam ativas desde a manhã para manter suas obrigações.

Pode parecer complicado acordar cedo para quem não tem esse costume, mas é algo que tende a se tornar um pouco menos difícil a cada dia até chegar ao ponto de se tornar um hábito.

A boa notícia é que, se você dispõe de tempo, essa mudança não precisa ocorrer de maneira abrupta. Comece acordando uma hora mais cedo na primeira semana e reduza mais uma hora na semana seguinte. Seguindo esse roteiro, seu horário de dormir será regulado automaticamente, já que você passará a sentir sono mais cedo.

Entender como o biorritmo afeta o corpo é fundamental para encontrar as melhores estratégias e tornar a rotina mais confortável. Com isso em mente, garante-se mais qualidade de vida e bem-estar, já que o corpo estará habituado às exigências de seu dia a dia. Entender o relógio biológico pode ajudar, ainda, a melhorar a produtividade, pois é possível entender em quais momentos do dia você estará mais disposto.

Gostou deste post? Então, siga-nos nas redes sociais para se manter atualizado sobre assuntos relacionados à área. Estamos no Facebook, Twitter, Instagram, LinkedIn e YouTube.

Escreva um comentário

Share This