Como é realizada a cirurgia do Aneurisma?
| | |

Como é realizada a cirurgia do Aneurisma? Neuro Cirurgião explica!

No nosso podcast de número 05, recebemos o Dr. Marcio Rassi, neurocirurgião e professor de neurocirurgia especializado no tratamento de tumores cerebrais e da base do crânio.

Neste episódio, o Dr. Marcio Rassi explica em detalhes como é a preparação, os procedimentos durante a cirurgia e quais são as possibilidades de se ter um ou mais aneurismas.

ACOMPANHE O TRABALHO DO DR. MARCIO RASSI

Como é realizada a cirurgia do Aneurisma?

Os aneurismas cerebrais são dilatações anormais nas artérias do cérebro que, se não tratadas, podem se romper e causar hemorragias fatais. A cirurgia é uma das principais opções de tratamento para prevenir rupturas e tratar aneurismas já rompidos.

Existem dois tipos principais de cirurgia para aneurismas: a clipagem microcirúrgica e a embolização endovascular. A escolha do procedimento depende de diversos fatores, incluindo a localização e o tamanho do aneurisma, a idade e o estado geral de saúde do paciente.

Procedimentos Cirúrgicos

As cirurgias de aneurisma variam dependendo da localização do aneurisma e da saúde geral do paciente. As principais abordagens cirúrgicas incluem:

1. Incisão e Acesso ao Local

Uma incisão na pele é feita, e o local da incisão depende da localização do aneurisma. Uma pequena abertura é criada no osso craniano, permitindo acesso ao cérebro.

2. Uso do Microscópio Cirúrgico

Toda a neurocirurgia, incluindo a de tumores e aneurismas, é realizada com um microscópio cirúrgico. O microscópio proporciona uma imagem altamente aumentada, permitindo que os cirurgiões trabalhem com precisão milimétrica.

3. Acesso ao Aneurisma

A cirurgia é realizada através dos espaços naturais do cérebro. Utilizando instrumentos microcirúrgicos, o cirurgião segue a artéria até a localização do aneurisma.

Um clipe é aplicado na base do aneurisma, interrompendo o fluxo de sangue e prevenindo a ruptura.

4. Cirurgia Aberta (Reparação Aberta de Aneurisma)

  • Procedimento: Envolve a remoção da seção dilatada da artéria e a substituição por um enxerto sintético. Este procedimento é invasivo e geralmente requer uma grande incisão.
  • Indicações: É frequentemente usado para aneurismas da aorta abdominal e torácica.
  • Recuperação: A recuperação pode ser longa, com internação hospitalar de uma semana ou mais e restrições de atividade por várias semanas.

5. Reparação Endovascular de Aneurisma (EVAR)

  • Procedimento: Envolve a inserção de um stent através de uma pequena incisão na virilha. O stent é guiado até o local do aneurisma, onde é expandido para reforçar a parede arterial.
  • Indicações: É menos invasivo que a cirurgia aberta e é usado para aneurismas da aorta abdominal e torácica.
  • Recuperação: A recuperação é geralmente mais rápida, com uma estadia hospitalar de poucos dias e uma rápida retomada das atividades normais.

6. Clipping Cirúrgico (para Aneurismas Cerebrais)

  • Procedimento: Envolve a colocação de um clipe metálico na base do aneurisma para interromper o fluxo sanguíneo e prevenir a ruptura.
  • Indicações: É usado para aneurismas cerebrais que são acessíveis cirurgicamente.
  • Recuperação: A recuperação varia dependendo da localização do aneurisma e da saúde geral do paciente.

7. Embolização Endovascular (para Aneurismas Cerebrais)

  • Procedimento: Envolve a inserção de microcateteres através dos vasos sanguíneos para o aneurisma, onde são liberadas bobinas ou substâncias embolizantes para preencher e selar o aneurisma.
  • Indicações: É uma alternativa minimamente invasiva ao clipping cirúrgico para aneurismas cerebrais.
  • Recuperação: A recuperação é geralmente rápida, com internação hospitalar de um a três dias.

Riscos e Complicações

Embora as cirurgias de aneurisma sejam frequentemente necessárias e potencialmente salvadoras, elas não estão isentas de riscos e complicações. Entre os riscos mais comuns, destaca-se a possibilidade de infecção no local da cirurgia, o que pode exigir tratamento adicional com antibióticos ou até mesmo intervenções cirúrgicas adicionais.

O sangramento excessivo durante ou após a cirurgia é outra preocupação, especialmente em procedimentos invasivos. Reações adversas à anestesia também são possíveis, variando de leves a graves.

Especificamente nas reparações endovasculares, existe o risco de problemas relacionados ao stent ou enxerto, como deslocamento ou vazamento, que podem necessitar de novos procedimentos corretivos. Pacientes submetidos a esses procedimentos também podem apresentar complicações renais devido ao uso de contrastes radiológicos durante a cirurgia.

Para os aneurismas cerebrais, as complicações neurológicas são uma preocupação significativa. Isso pode incluir déficits neurológicos permanentes ou transitórios, dependendo da localização e do tamanho do aneurisma, assim como da técnica utilizada. Em casos raros, pode ocorrer um derrame durante ou após a intervenção.

O cuidado pós-operatório meticuloso e o acompanhamento contínuo com profissionais de saúde são essenciais para minimizar esses riscos e monitorar quaisquer complicações que possam surgir.

Cuidados Pós-Operatórios

Os cuidados pós-operatórios após a cirurgia de aneurisma são cruciais para uma recuperação bem-sucedida. É essencial monitorar constantemente a pressão arterial para prevenir complicações e garantir que o enxerto ou stent esteja funcionando corretamente. Medicamentos anticoagulantes ou antiplaquetários podem ser prescritos para evitar a formação de coágulos.

Mulher hospitalizada com esquizofrenia.
Em casos graves de esquizofrenia é necessário a hospitalização.

Uma dieta saudável e a manutenção de um estilo de vida ativo são importantes para promover a saúde cardiovascular. Além disso, o acompanhamento regular com o médico permite monitorar o progresso da recuperação e identificar rapidamente quaisquer problemas. Esses cuidados ajudam a assegurar a eficácia da cirurgia e a melhorar a qualidade de vida do paciente.

Aneurismas Múltiplos

Em alguns casos, os pacientes podem apresentar múltiplos aneurismas, incluindo uma condição chamada “aneurisma em espelho“, onde aneurismas aparecem em locais simétricos em ambos os lados do cérebro. O tratamento prioritário é dado ao aneurisma com maior risco de ruptura, seguido pelos menores.

Dependendo da situação, todos os aneurismas podem ser operados através da mesma abertura em uma única cirurgia. No entanto, em alguns casos, múltiplas cirurgias são necessárias, permitindo períodos de recuperação entre cada procedimento.

Esse processo detalhado ilustra a complexidade e a precisão envolvidas na microcirurgia para o tratamento de aneurismas, destacando o cuidado essencial para tratar essa condição.

Encontre um Neurocirurgião

Encontre um médico neurocirurgião de confiança em sua cidade e agende online agora mesmo.

Postagens similares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *