Ir ao dentista deve fazer parte da rotina de check-up e consulta médica de todas as pessoas. Assim, é importante que você e sua família coloquem no calendário visitas periódicas a esse profissional.

Além de ser uma forma de manter os hábitos saudáveis, essa atitude ajuda a diagnosticar doenças ou outras condições, de forma precoce, otimizando qualquer tratamento.

Você sabe como escolher um bom dentista? Sabe quais problemas podem ser identificados e qual a frequência correta do atendimento? E conhece as várias especialidades que um dentista pode ter? Ufa! São muitas perguntas, né? Mas fique tranquilo, pois vamos responder todas aqui.

Então, continue a leitura e entenda mais a fundo sobre esse tipo de atendimento!

Por que ir ao dentista?

A boa saúde começa pelo cuidado que temos com o nosso organismo. E os dentes influenciam em diversos aspectos do nosso bem-estar físico e mental.

Da mesma forma que vamos, de vez em quando, a ginecologista, oftalmologista ou outros médicos, a fim de garantir que estamos bem, devemos visitar o dentista, para avaliações periódicas da saúde bucal. Com isso, as consultas garantirão que você e sua família estejam bem cuidados.

Além do mais, isso evita surpresas desagradáveis e, caso seja necessário um tratamento, ele tem mais chances de sucesso.

Abaixo, você verá alguns motivos para levar em consideração as visitas regulares.

Prevenir problemas bucais

Prevenção é sempre a melhor opção quando o assunto é saúde. Afinal, nada mais desagradável do que não pode aproveitar os bons momentos devido a dores ou indisposições, concorda?

Por meio de consultas, o dentista examina dentes, lábios, gengiva, bochechas e língua. Ainda que a pessoa tenha bons hábitos de higiene, existem bactérias, fungos e vírus que são difíceis de serem evitados. Crianças, por exemplo, levam tudo à boca e são propensas ao sapinho. Adultos não estão livres de gengivite. E aqueles fumantes ou consumidores de bebida alcoólica devem ter atenção redobrada.

É importante ter em mente que existem doenças que começam de maneira silenciosa e só dão sinais quando estão bem avançadas.

Realizar tratamentos

Outro motivo é a necessidade de fazer intervenções e acompanhar tratamento longos. Herpes e tártaro, muitas vezes, precisam de mais acompanhamento. Quem usa aparelho ortodôntico também tem de fazer manutenções constantes. O tratamento de canal é um procedimento complexo e requer uma assistência assídua. De qualquer forma, o profissional fará com que a intervenção tenha mais sucesso.

Fazer limpeza

Mesmo a pessoa mais rígida com a limpeza bucal, que faça uso de fio dental e escove os dentes na frequência recomendada, precisa realizar limpezas com aparelhos específicos que só o dentista tem.

Por meio dessa profilaxia profunda profissional, é possível retirar placa bacteriana ou manchas — comum em quem consome vinho —  e deixar os dentes mais bonitos e saudáveis.

Cuidar da autoestima

E por que não podemos falar do poder da autoestima? Todos gostamos de nos sentir confortáveis com nossa própria aparência. A sensação de mau hálito ou um dente quebrado, por exemplo, influencia no modo como nos apresentamos, em como sorrimos para as pessoas e até na naturalidade que temos para conversar com alguém.

Evitar doenças cardíacas

Você sabia que muitas doenças cardíacas são estimuladas por hábitos ruins de higiene bucal, que levam a cáries e infecções?

A endocardite bacteriana é uma infecção cardiológica provocada pelo acúmulo de bactérias na boca, que passam pela corrente sanguínea e chegam ao coração. Quando aguda, ela se desenvolve rapidamente e pode provocar complicações sérias dentro de dias.

Incentivar os filhos

Você já percebeu que as crianças imitam bem mais o que os pais fazem do que o que eles dizem para elas fazerem?

A melhor forma de fazer com que os filhos tenham bons hábitos é você mesmo começar a praticá-los. Faça com que as crianças vejam o quanto você se preocupa com essa questão e que percebam que você também faz suas consultas. Acompanhe os atendimentos delas e sempre converse sobre possíveis medos e dúvidas.

Uma prática positiva que começa na infância tende a persistir durante a fase adulta também.

Quando procurar um dentista?

Ok, então você entendeu que existem bons motivos para fazer a consulta frequente ao dentista. Mas quando ir? Existe um prazo ideal? Bem, vamos ver a seguir.

Quando sentir dor de dente ou na boca

Dor de dente é uma das maiores causas que faz alguém procurar um dentista. Pode estar associada a cáries ─ o que é algo mais sério e demandará tratamento de acordo com a profundidade dela ─ ou à sensibilidade ─ que, apesar de causar incômodo, costuma ter uma intervenção mais tranquila.

Além disso, problemas na gengiva também causam desconforto, como inchaço, inflamações ou incômodo no maxilar.

Quando estiver em tratamento

Não é aconselhável que você inicie um tratamento e depois o abandone. O profissional que começou a cuidar da sua condição precisa fazer o acompanhamento, e você precisa retornar nos prazos em que forem definidos. Ter esse comprometimento é essencial para bons resultados. Por exemplo, a manutenção do aparelho ortodôntico, feita regularmente, favorece a rapidez e a eficácia do resultado.

Quando desconfiar de mau hálito

A halitose atinge cerca de 40% da população, segundo a OMS. Alguns dos fatores que contribuem para ela são:

  • alimentação: alho e cebola, por exemplo, influenciam, devido ao odor forte;
  • diabetes: devido à glicose, a pessoa pode ter o chamado hálito cetônico;
  • cárie: a bactéria é o motivo do odor ruim;
  • cáseos amigdalinos: são bolinhas brancas que ficam nas amígdalas;
  • má higiene: a saburra na língua, o tártaro nos dentes e restos de comida na dentadura colaboram para isso;
  • gastrite: bactérias do estômago podem causar um cheiro desagradável.

Dentistas são uns dos profissionais mais indicados para o diagnóstico. E, caso, o seu perceba que o problema não é da área dele, ele tem condições de encaminhar você  a melhor especialidade.

Durante a gestação

Existem problemas comuns na gravidez, como a gengivite. Como é uma fase especial, na qual a mulher não pode se submeter a qualquer procedimento e, ainda, tem restrições a certas medicações, é importante que ela tenha um acompanhamento, a fim de evitar preocupações maiores. Assim, se for a sua condição, além das consultas ao obstetra, inclua na sua lista check-up a ida ao dentista.

Ao nascimento dos sisos

Geralmente, os primeiros sisos nascem por volta dos 18 anos. Costumam causar dor intensa e, algumas vezes, até inflamação. É importante fazer a consulta e os exames, como raio-x, que o especialista solicitar. A partir disso, ele dirá se a pessoa realmente precisa retirá-los, pois, em alguns casos, a cirurgia é opcional.

A retirada é recomendada quando os dentes estão nascendo fora do lugar e têm a possibilidade de “empurrar” os outros. Nesse caso, as consultas iniciais servirão, também, para tirar todas as dúvidas para o processo cirúrgico.

Ao surgirem os dentes de leite

Bebês e crianças sofrem, muitas vezes, com o nascimento dos dentes de leite também. Essa fase pode ser ainda mais complicada que o surgimento dos sisos, pois os pequenos têm mais dificuldade de comunicar a dor e buscar maneiras de diminuí-la.

Um especialista pode examinar se tudo está conforme o esperado e receitar medicações para tirar o desconforto.

Quando tem tempo que você não vai

Alguns dentistas recomendam a visita de 4 em 4 meses. Outros de 6 em 6. Se já faz muito tempo que você não vai ao dentista, então, é recomendado que você marque um horário e se certifique da sua saúde bucal. Afinal, lembra o que falamos sobre prevenção, não é?

Ao sentir os dentes sensíveis

A sensibilidade causa aquela dorzinha chata ao comer um picolé ou tomar um café. Entre os vários motivos, ela pode ser causada pelo desgaste do esmalte dentário, o que acontece quando a pessoa faz a escovação com muita força.

No entanto, só um dentista pode diagnosticar o problema e passar o tratamento adequado, que muitas vezes consiste em uma escova e pasta de dentes apropriadas.

Ao ter dente quebrado

Quedas e alimentos duros podem quebrar ou trincar um dente. Isso causa dor na mastigação ou gengiva inchada e inflamada. Mas você já parou para pensar por que certas pessoas tendem a trincá-lo com mais facilidade? Algumas das causas podem ser: dentes mal posicionados, bruxismo, restaurações e cáries. A consulta ao dentista dará um direcionamento mais certeiro.

Quando tiver bruxismo

O bruxismo é o ranger dos dentes, que acontece quando a pessoa está dormindo. Estresse e ansiedade podem fazer com que o problema se torne mais persistente. Alguns sintomas podem ser: dor de cabeça, dor na mandíbula, aumento da sensibilidade dentária, recuos na língua. O profissional ajudará a fazer o diagnóstico e orientará o paciente da melhor forma.

Quando perceber que se morde constantemente

Algumas pessoas mordem, sem querer, a parte interior da bochecha, os lábios e a língua, durante as refeições. Se isso acontece uma vez ou outra, é considerado natural. Mas se for de forma constante, é aconselhável investigar o porquê.

Ao ter dentes tortos ou mordida cruzada

Falta de alinhamento nos dentes é um indicativo para o uso de aparelhos ortodônticos. Além de o problema influenciar negativamente na autoestima da pessoa, pode atrapalhar a fala, a respiração, a mastigação, a deglutição e o nascimento de outros dentes. A ortodontia ajudará a pessoa nessa questão.

O que esperar durante a consulta?

Na primeira visita, o dentista verificará o histórico de saúde, por meio de uma lista de perguntas, que podem envolver a fase da infância. Isso é importante para ele conhecer mais sobre as particularidades de cada paciente e analisar as necessidades individuais. Nas consultas, também poderá ocorrer o seguinte.

Profilaxia

É uma limpeza profunda, feita com utensílios especiais de dentista, para remoção de placa bacteriana e tártaro. O procedimento é importante, para evitar cáries, mau hálito, doença da gengiva e outros. Costuma ser feita a cada 6 meses, mas o profissional pode estipular um prazo diferenciado, de acordo com cada particularidade.

Exames

Ele fará um exame minucioso na boca toda, à procura de problemas. O objetivo é manter a boa saúde bucal e identificar, com antecedência, futuros problemas.

Radiografias

O profissional poderá realizar na clínica ou solicitar que o paciente faça as radiografias em outro lugar e, depois, leve os resultados. É a melhor maneira de detectar questões, como cáries profundas, abscessos, tumores, cistos ou dentes que nascem tortos. Caso a mulher esteja grávida, ela deve avisar, antes, ao dentista, que avaliará a possibilidade de deixar esse exame para depois do parto.

Quais são as especialidades de um dentista?

Assim como um médico tem várias especialidades, um dentista também tem, você sabia? Isso é importante para deixar os diagnósticos ainda mais certeiros. Acompanhe abaixo algumas delas.

Clínico geral

Apesar de essa não ser, de fato, uma especialidade, é fundamental na prevenção e na defesa da saúde bucal. Geralmente, é com esse profissional a primeira consulta e continua sendo as demais, caso o paciente não precise de um tratamento específico.

Ele é responsável pela limpeza profunda, remoção de tártaros, cáries e dentes de leite, restaurações pequenas, aplicação de flúor, ajustes de peças dentárias e alguns atendimentos emergenciais.

Odontopediatria

Esse segmento da odontologia é focado no atendimento a crianças. Assim, o especialista tem conhecimentos específicos na área infantil, para lidar com seus pequenos pacientes, de forma mais receptiva e utilizando algumas técnicas lúdicas. Isso é essencial para que as crianças não tenham medo de fazer intervenções.

Sendo assim, uma das características essenciais para esse profissional é a calma, já que, muitas vezes, será preciso trabalhar o emocional dos seus pacientes mirins, para que possibilitem o atendimento.

O odontopediatra também pode trabalhar com bebês e gestantes, garantindo a saúde em todas as fases do desenvolvimento infantil.

É importante saber que uma pessoa que adquire, ainda na infância, o hábito de ir ao dentista, tem mais probabilidade de prosseguir com os cuidados adequados na fase adulta.

Ortodontista

Essa área é responsável pelo estudo, tratamento e prevenção dos problemas de desenvolvimento da face e dos seus ossos, do arco dentário e da oclusão. Ou seja, relaciona-se a disfunções dento-faciais.

O profissional pode atuar de forma preventiva, por meio de aparelhos ortodônticos, na fase infantil, evitando que haja um crescimento dental incorreto. Também age de maneira corretiva, atendendo adolescentes e adultos com problemas no posicionamento de dentes e ossos.

É um dos segmentos com mais demanda por serviços e o profissional precisa estar sempre em busca de atualizações e opções modernas de tratamento.

Odontogeriatria

O odontogeriatra tem foco em idosos, contribuindo para um envelhecimento saudável, por meio de procedimento paliativos ou curativos. A vantagem desse especialista é ter o conhecimento das condições que mais afligem quem está nessa idade, como diabetes, problemas cardiovasculares, osteoporose, artrose etc. Além disso, o dentista está preparado para lidar com consequências advindas do tempo, como perda da tonicidade na língua, diminuição da sensibilidade gustativa, diminuição do fluxo salivar, perda de dentes.

Odontologia para pessoas com deficiência ou pessoas especiais

Pessoas com deficiência, ou com algum outro transtorno, como o autismo, podem precisar de um atendimento especializado, pois esses pacientes tendem a ter mais dificuldade de colaborar com a intervenção. Então, o profissional precisa ter habilidades de conversa e, em alguns casos, será necessário o uso de anestesia geral.

Além disso, alguns dos pacientes podem apresentar mais facilidade para o aparecimento de cáries, devido a fatores como escovação precária, má oclusão, fluxo salivar alterado, consumo excessivo de alimentação pastosa, realização de movimentos inadequados na mastigação.

Dessa forma, o dentista precisará ter um cuidado apurado e, ainda, trabalhar com a orientação dos familiares.

Endodontista

Esse profissional é capacitado para tratar lesões do nervo (polpa), da raiz dos dentes e das doenças que atingem essas partes. Pode lidar com traumas dentários, fraturas dentárias e tratamento de canal, por exemplo.

O conhecimento particular é importante, pois, a polpa dentária abriga nervos, tecido conjuntivo e vasos sanguíneos de cada dente. Em caso de lesões, pode ocorrer a entrada de bactérias, que causam infecção e inflamação. Isso pode levar à formação de abscesso e pus, sendo perigoso para a vida do paciente.

De modo geral, todo dentista está preparado para lidar com essas questões e intervenções, como um canal. Porém, quando o caso parece muito complexo e específico, é possível que o paciente seja encaminhado a um especialista.

Periodontista

Esse dentista tem a função de tratar doenças do sistema de implantação e suporte dos dentes. Ele cuida das estruturas, como gengivas, ossos e ligamentos. Um exemplo de cenário no qual ele intervém é quando um paciente é o tratamento de gengivite, que pode atingir, principalmente, fumantes, pessoas com hábitos alimentares inadequados ou com baixa imunidade. Ele também lida com a periodontite, que é um tipo de gengivite mais séria, a ponto de causar inflamação dos tecidos que sustentam a arcada dentária.

Implantodontista

Essa especialidade lida com reabilitações da função mastigatória e estética dos dentes, quando algum é perdido. O trabalho é feito por meio de implantação cirúrgica de uma pequena peça de titânio que servirá de raiz do dente. Essa peça, chamada de pino, é confeccionada a partir da anatomia do paciente e fica presa ao implante.

Como cada um tem suas particularidades, o especialista precisará de um estudo individual para cada paciente. Além de devolver a autoestima, essa ação garante mais saúde à pessoa, que poderá se alimentar de forma mais adequada.

Cirurgião buco maxilo facial

Essa especialidade lida com doenças da cavidade oral e seus anexos, como traumatismos e deformidades faciais ou dos maxilares. Envolve a região compreendida entre o osso hióide e a parede anterior do seio frontal e do tragus à pirâmide nasal.

Esse tipo de dentista pode lidar com doenças que influenciam nesse sistema, como AIDS, tuberculose, sífilis, câncer, distúrbios do desenvolvimento, deformações de nascença.

Alguns pacientes podem precisar de reposição do tecido ósseo ou reintegração da função fisiológica. Além disso, o profissional também tem capacidade de intervir em problemas como dores nas articulações ou apneia do sono.

Odontologia do esporte

Estuda a saúde bucal de atletas profissionais e amadores. Investiga a influência das doenças da cavidade bucal no desempenho dos esportes. Isso é importante, já que o instrumento de trabalho do esportista é o próprio corpo, que precisa estar em ótimas condições para ter um bom rendimento.

Além disso, há o conhecimento no meio médico de que o consumo de repositores de sais minerais tende a desmineralizar os dentes, aumentando a incidência de cáries e outras doenças. Esse é outro fator que faz com que a revisão, no dentista, mais intensa.

Odontologia estética

Muito ligado à parte da beleza e da autoestima, esse profissional lida diretamente com a área da cosmética e da restauração dental. Ele faz clareamentos, resinas diretas, facetas, restaurações estéticas, lentes de contato para dentes.

Esse dentista atende pacientes com manchas, dentes trincados, desalinhados ou diastemas (dentes muito espaçados), por exemplo. Com isso, ele contribui para que a pessoa tenha melhor aparência e um sorriso mais harmônico.

Como procurar um dentista online?

Nossos dentes são importantes à nossa saúde e autoestima. Mesmo crianças com dentes de leite precisam ter o hábito de cuidar bem de si, fato que influenciará o bem-estar na fase adulta. Sendo assim, ao fazer qualquer procedimento bucal, é imprescindível que isso aconteça com um profissional de confiança.

Assim, ao escolher um dentista, o primeiro passo é ir atrás de uma clínica confiável. Então pesquise pela internet quem faz marcação de consulta online na sua região e avalie os comentários de outros pacientes sobre o lugar.

Para saber qual tipo de especialista marcar, analise se o seu caso pede alguma particularidade relatada aqui. Se você não tiver certeza, opte por um dentista clínico geral, pois ele terá condições de fazer as avaliações iniciais e encaminhar você ao profissional que for mais indicado.

Além disso, você pode fazer uma consulta sobre o CRO desse profissional a fim de verificar se ele está apto a fazer atendimentos.

Bem, agora que você já conhece várias especialidades de um dentista e sabe da importância de manter uma rotina de cuidados e fazer check-ups constantemente, não negligencie sua saúde e a da sua família.

Ficou com alguma dúvida ou quer compartilhar algo que não abordamos aqui? Deixe seu comentário abaixo!

Escreva um comentário

Share This