Mosquito transmissor da dengue.
|

Dengue: o que é, transmissão, sintomas, diagnóstico, tratamento e curiosidades sobre o tema!

A dengue é um problema de saúde pública, oferecendo risco a cerca de 500 milhões de pessoas nas Américas, segundo a Organização Pan-Americana de saúde. Mas afinal, o que é a dengue, como ocorre a contaminação e quais cuidados adotar para prevenir? É sobre esse tema que abordaremos nesse post, continue lendo.

Segundo o portal do governo brasileiro, saúde do viajante, somente no ano de 2021 foram registrados 534.743 casos de dengue no Brasil, sendo 241 óbitos por dengue em seu caso grave e 56 óbitos em investigação, sendo a doença a principal apontada como causa morte.

Diante de números preocupantes como os apresentados, é de fundamental importância obter conhecimento sobre a doenças e quais as opções para lidar com o problema, sendo assim, a seguir você confere as principais informações sobre a dengue, continue lendo.

O que é a Dengue?

A dengue é uma doença infecciosa viral causada por um arbovírus vírus transmitido pelo mosquito fêmea Aedes aegypti. Caracterizada por febre alta de início abrupto, dores no corpo, dor de cabeça e manchas vermelhas pelo corpo.

A incidência da doença é maior no verão, principalmente em países quentes e úmidos, onde o ambiente é mais propício para a reprodução do agente transmissor.

Homem escrevendo a palavra dengue.
A dengue é uma doença infecciosa viral causada por um arbovírus vírus transmitido pelo mosquito fêmea Aedes aegypti.

Existem quatro tipos de vírus relacionados a dengue, sendo eles Den-1, Den-2, Den3 e a Den-4 pertencentes a família Flaviridae, todos recebendo os respectivos nomes populares: dengue assintomática, dengue clássica, dengue hemorrágica e Febre Hemorrágica da dengue.

Vale ressaltar que um individuo, pode contrair os quatro sorotipos da doença dengue, no entanto, após a infecção por um sorotipo, o organismo ganha imunidade permanente a variação do vírus.  

Como a dengue é transmitida?

O vírus da dengue é transmitido pela picada do mosquito fêmea Aedes aegypti, que eventualmente já se apresenta infectada por picar outro individuo com o vírus na corrente sanguínea.

A fêmea do mosquito Aedes aegypti, precisa se alimentar com sangue, com objetivo de produzir seus ovos e perpetuar a espécie, dessa forma, continuará a transmitir o vírus da dengue enquanto estiver viva.

Uma vez que o mosquito pica uma pessoa positivo para o vírus da dengue, após alguns dias, o vírus invade a glândula salivar do mosquito, tornando a fêmea um agente transmissor permanentemente.

Fotos vetor transmissor da dengue.
O vírus da dengue é transmitido pela picada do mosquito fêmea Aedes aegypti

O mosquito que transmite dengue possui hábitos diurnos, sendo frequentemente encontrado em ambientes urbanos, principalmente em regiões onde se apresenta o ambiente favorável a reprodução.

As condições para a reprodução do mosquito transmissor da dengue são: água parada para depósito dos ovos, eclosão das larvas do mosquito e desenvolvimento. O tempo entre a eclosão do ovo e o mosquito tornar-se adulto é de 10 dias.

A reprodução e incidência de casos de dengue aumentam consideravelmente nos meses chuvosos, no verão, devido à quantidade de terrenos baldios com entulhos e descuido da população, quanto a objetos que armazenam água em quintais.

Como evitar a proliferação do mosquito?

A melhor forma de reduzir os casos de dengue, é prevenir a proliferação do mosquito Aedes aegypti, tornando os ambientes urbanos, desfavoráveis a reprodução.

As dicas para evitar a reprodução do mosquito Aedes aegypti são:

  • Não deixar água parada em garrafas, vasos de planta e pneus;
  • Solicite a limpeza de terrenos baldios na prefeitura do seu município;
  • Manter lixeiras tampadas e protegidas da chuva;
  • Limpar os vasinhos de planta e vasilhas usadas para colocar água para animais;
  • Retirar água de plantas que acumulam água, como as bromélias;
  • Manter as piscinas sempre limpas;
  • Limpar as calhas;
  • Manter caixas de água e cisternas tampadas;
  • Descartar adequadamente objetos que acumulam água.

A dengue é um problema sério, a edução e esforço de toda a população é fundamental para se manter livre desse mal, portanto, converse com sua família, amigos e vizinhos.

Como identificar o mosquito da dengue (Aedes aegypti)?

As características do Aedes aegypti são:

  • Tamanho: entre 0,5 e 1 cm
  • Coloração:  possui cor preta e riscos brancos nas patas, cabeça e corpo;
  • Asas: possui 2 pares de asas translúcidas;
  • Patas: possui 3 pares de patas.

Comportamentos do mosquito da dengue:

  • O Aedes aegypti costuma se alimentar apenas durante o dia, é quando ele pica a pessoa, normalmente nas primeiras horas da manhã ou ao cair da tarde;
  • O mosquito costuma picar (atacar) pernas, tornozelos e pés e sua picada, normalmente não dói e nem coça;
  • Tem voo rasteiro, com no máximo 1 metro de distância do solo.

Vale ressaltar, que apesar do mosquito comumente picar durante o dia, o mesmo pode ocorrer durante a noite. 

Normalmente o Aedes aegypti tem sua população aumentada no verão, recomendando-se usar repelentes, inseticidas na casa ou instalar telas mosquiteiras nas janelas e portas.

Fotos do mosquito da dengue (Aedes aegypti):

Fotos mosquito Aedes aegypti.
Fotos de diferentes aparências do mosquito Aedes aegypti o mosquito transmissor da dengue.

Sintomas da dengue

Os sintomas da dengue vão variar de acordo ao tipo contraído, podendo ser assintomática, isto é, não apresentar sintomas, bem como apresentar sintomas leves ou até graves.

Os principais sintomas da dengue são:

  • Febre alta com início súbito (entre 39º a 40º C);
  • Forte dor de cabeça;
  • Dor atrás dos olhos, que piora com o movimento dos mesmos;
  • Manchas e erupções na pele, pelo corpo todo, normalmente com coceiras;
  • Extremo cansaço;
  • Moleza e dor no corpo;
  • Muitas dores nos ossos e articulações;
  • Náuseas e vômitos;
  • Tontura;
  • Perda de apetite e paladar.

Sintomas graves da dengue:

  • Dor abdominal persistente e muito forte;
  • Mudança de temperatura do corpo e suor excessivo;
  • Comportamento variando de sonolência à agitação;
  • Pulso rápido e fraco;
  • Palidez;
  • Perda de consciência.

As variações de sintomas acontecem de acordo ao tipo de vírus da dengue contraído, entenda melhor abaixo!

Dengue não grave: nessa variação do vírus os sintomas costumam ser mais brandos, causando apenas incômodos como febre, manchas vermelhas pelo corpo, enjôo, vômito, dores de cabeça, articulações, músculos e ao redor dos olhos.

Dengue não grave com sinais de alerta: após a febre inicial cessar, podem surgir sintomas considerados de alerta, precisando de acompanhamento médico, sendo eles vômitos persistentes, sangramentos, acúmulo de líquidos nas cavidades do corpo, a exemplo do pulmão e coração, tonturas, aumento do fígado e da concentração do sangue.

Dengue grave: em sua variação grave a pessoa, apresenta uma ou mais manifestações consideradas graves, sendo elas (palidez e prostração, sudorese e queda da pressão arterial), dificuldade para respirar em decorrência do extravasamento plasmático (saída de líquido dos vasos sanguíneos), comprometimento grave dos órgãos, como rins, fígado, cérebro e coração, sangramentos importantes, entre outros.

Gostaríamos de salientar a necessidade de acompanhamento médico, quando apresentado sintomas graves, devido ao risco de óbito, em pouco mais de 12 ou 24 horas.

Os sintomas gerados pelo vírus da dengue costumam durar de quatro a dez dias, no entanto, os impactos gerados na qualidade de vida, podem se estender por semanas, talvez meses.

Quando procurar um médico?

Ao apresentar os sintomas destacados a cima, procure a unidade de atendimento médico mais próxima, para realizar a avaliação clínica, além do hemograma e plaquetopenia, para receber o diagnóstico correto.

Vale lembrar, que não existe um tratamento específico para dengue, mas o acompanhamento médico é fundamental, pois a doença pode evoluir para quadros mais graves, podendo levar o paciente a óbito.

Você suspeita estar com dengue? Aqui no BoaConsulta você encontra os melhores médicos infectologistas e clínicos geais para diagnóstico e tratamento de dengue! Agende sua consulta online pelo site ou aplicativo.

Diagnóstico da dengue

O diagnóstico da dengue é obtido através da análise clínica dos sintomas relatados pelo paciente, bem como pela realização de exames laboratoriais de sorologia, biologia molecular e isolamento viral.

O governo brasileiro, também adotou o uso de testes rápidos para dengue, disponíveis no Sistema Único de Saúde (SUS).

A seguir entenderemos como cada etapa funciona, para diagnosticar a dengue e quais são os procedimentos adotados, continue lendo.

Exames para detectar a dengue

Os exames para diagnosticar dengue são:

  • Testes de coagulação;
  • Eletrólitos (sódio e potássio);
  • Hematócrito;
  • Enzimas do fígado (TGO, TGP);
  • Contagem de plaquetas;
  • Testes sorológicos (mostram os anticorpos ao vírus da dengue);
  • Raio-x do tórax para demonstrar efusões pleurais.

Os exames para diagnosticar a dengue, como a sorologia e exames de sangue, podem demorar de três a quatro dias para receberem o resultado conclusivo. Após avaliação dos exames pelo médico, havendo necessidade, outros exames podem ser solicitado, com objetivo de identificar um quadro grave.

Qual médico diagnostica dengue?

O médico clínico geral pode fazer o diagnóstico da dengue, mas o especialista mais indicado é o infectologista.

Como é o tratamento para a dengue?

Como citamos anteriormente, não existe um tratamento específico para dengue, mas sim, um controle dos sintomas com objetivo de aliviar os incômodos até que o paciente obtenha cura.

Vale ressaltar, que apesar de não existir um tratamento para dengue, ao sentir os sintomas é extremamente necessário o acompanhamento médico, pois o quadro pode se agravar levando o paciente a óbito.

As ações de assistência, acompanhamento e tratamento da dengue são:

  • Fazer repouso de 5 a 10 dias;
  • Beber bastante água;
  • Evitar a automedicação;
  • A hidratação pode ser por via oral (ingestação de líquidos pela boca) ou por via intravenosa (com uso de soro, por exemplo);
  • O tratamento é feito de forma sintomática, sempre de acordo com avaliação do profissional de saúde, conforme cada caso.

Quais medicamentos tomar para tratar dengue?

Os medicamentos aceitos no tratamento da dengue é o paracetamol e dipirona, desde que recomendados por um médico e o paciente não apresente alergias a medicação.

Ambos os medicamentos citados servem apenas para aliviar os sintomas da dengue, como a dor e febre, recomendado tanto pelo Ministério da Saúde, como pela Organização Mundial da Saúde.

Não se recomenda a automedicação, pois pode apresentar risco a saúde e agravamento do quadro.

Existe vacina para dengue?

Sim, existe vacina contra a dengue, mas apenas está registrada na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e atualmente só é fornecida na rede privada de saúde.

Para a imunização com a vacina a pessoa vacinada deverá ter sido infectada pelo vírus da dengue ao menos uma vez, além disso, é necessário três doses para a imunização estar completa.

Dengue tem cura?

Sim, a dengue possui cura, desde que tratada corretamente.

Quando nos referimos a dengue clássica não grave, sintomas como febre costumam sumir dentro de sete dias, no entanto mal estar, fraqueza e demais sintomas, podem durar um pouco mais para sumirem.  No entanto,  pacientes com a forma não grave da doença, recuperam-se por completo, em outras palavras, obtém cura.

No caso grave da doença, manifestações como sangramento no nariz, boca e gengivas, caso não sejam tratadas, podem levar o paciente a óbito.

Como fazer a prevenção contra a dengue?

A forma mais eficiente de prevenir a dengue é a eliminação das condições favoráveis de proliferação do agente transmissor o mosquito Aedes Aegypti.

A transmissão da dengue é feita pelo mosquito fêmea, uma vez que o mosquito ao se alimentar do sangue de um indivíduo contaminado, ao picar outra pessoa transmite o vírus da dengue.

Ilustração prevenção da dengue.
Evitar os ambientes favoráveis para o mosquito é a melhor forma de prevenir a dengue.

E apesar da facilidade enorme que o mosquito encontra para se proliferar, com ações simples é possível dificultar a reprodução diminuindo ou erradicando a infecção com o vírus da dengue e outras doenças, também transmitidas pelo Aedes Aegypti como o zika vírus e Chikungunya.

Vejamos a seguir algumas formas práticas e simples de prevenir a dengue.

1. Elimine pontos de água parada

O agente etiológico da dengue o Aedes Aegypti, se prolifera em locais com água parada, assim eliminar os focos é uma das formas mais eficientes de prevenção contra a dengue.

Exemplos de ações para eliminar focos de agua parada:

  • Manter os pratos de vasos de flores e plantas com areia;
  • Guardar garrafas com a boca virada para baixo;
  • Limpar sempre as calhas dos canos;
  • Não jogar lixo em terrenos baldios;
  • Colocar o lixo sempre em sacos fechados;
  • Manter baldes, caixas d´água e piscinas sempre tampados;
  • Deixar pneus ao abrigo da chuva e da água;
  • Eliminar copinhos plásticos, tampas de refrigerantes, cascas de coco em sacos que possam ser lacrados;
  • Furar latas de alumínio antes de ser descartadas para não acumular água;
  • Lavar bebedouros de aves e animais pelo menos uma vez por semana;

Vale lembrar que para estas ações serem efetivas, toda a comunidade precisa fazer a sua parte. Ao identificar pontos de água parada em terrenos baldios ou quintais, você pode entrar em contato com as autoridades sanitárias de sua cidade e solicitar a inspeção legal.

2. Aplicação de larvicidas

Existem locais como depósitos abertos ou ferros-velhos e lixões que ficam expostos as chuvas, tornando-se um excelente local para o mosquito se reproduzir.

Desse modo, fazer a aplicação de larvicidas, capazes de eliminar os ovos do mosquito da dengue é uma solução muito efetiva e prática.

É importante lembrar que essa aplicação deve ser feita por profissionais e principalmente pela secretária de saúde de seu município.

As formas de aplicação desses produtos químicos contra o mosquito de dengue são:

  • Focal: consiste na aplicação de pequenas quantidades de larvicidas diretamente nos objetos com água parada, tipo vaso de planta e pneus;
  • Perifocal: é parecida à dedetização e baseia-se em colocar larvicidas com aparelho que solta gotículas de produto químico, deve ser feito por pessoas treinadas e com equipamentos de proteção individual;
  • Ultrabaixo volume: também conhecido como fumacê, que é quando um carro emite uma fumaça que ajuda a eliminar as larvas do mosquito, sendo que é realizado em casos em que há surto de dengue.

3. Evite ser picado pelo mosquito transmissor da dengue

Neste momento você já sabe que o agente transmissor da dengue é o mosquito Aedes Aegypti, portanto evitar ser picado por ele é uma ótima forma de prevenir, vejamos algumas formas:

  • Usar calça comprida e blusa de manga comprida em tempos de epidemia;
  • Passar repelente diariamente as áreas expostas do corpo, como rosto, orelhas, pescoço e mãos;
  • Ter telas de proteção em todas as janelas e portas da casa;
  • Acender uma vela de citronela em casa, pois ela é repelente de insetos;
  • Evitar ir em locais com epidemia da dengue.

Fique atento quanto ao uso de repelentes, nem todos realmente protegem você do mosquito, consulte o seu médico ou farmacêutico se a marca escolhida possui 20% dos princípios ativos como DEET, icaridina e IR3535.

Dúvidas frequentes sobre dengue

Histórias recentes

Postagens similares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.