Você sabia que endometriose e gravidez são duas coisas que estão intimamente relacionadas? Essa doença, que provoca fortes cólicas e dores durante as relações sexuais, também é uma das principais causas de infertilidade feminina, afetando o grande sonho de muitas mulheres de ser mãe.

Segundo a Comissão Nacional de Endometriose, da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (FEBRASGO), 1 a cada 10 brasileiras sofrem com o problema. Muitas delas passam grande parte da idade reprodutiva sem um diagnóstico e tratamento, até que a dificuldade de engravidar seja associada ao quadro.

No post de hoje, separamos o que você precisa saber sobre a endometriose e como ela interfere em uma gestação. Ao fim, descubra, ainda, se existe uma solução para o caso.

O que é a endometriose?

Caracterizada como a presença de tecido endometrial fora da cavidade uterina, a endometriose é uma doença inflamatória e de difícil controle.

O endométrio é uma camada de tecido que reveste a parte interna do útero. Todos os meses, suas células se multiplicam e ele fica mais espesso para receber um embrião. Caso a gestação não aconteça, ele é eliminado por meio da menstruação.

A doença se desenvolve quando esse tecido começa a crescer em outros órgãos, como nos ovários, trompas, intestinos e na bexiga.

Entre seus sintomas estão muita cólica e dores pélvicas, durante e após o período menstrual, assim como nas relações sexuais, além de dificuldades de urinar e evacuar enquanto se está menstruada.

Quais são as suas causas?

Entre as hipóteses que explicam o surgimento da endometriose estão falhas no sistema imunológico da mulher, que não consegue eliminar as células endometriais que migram no sentido reverso, ou seja, em vez de serem eliminadas pela vagina durante a menstruação, elas seguem rumo cavidade pélvica e lá permanecem.

Outra condição que contribui para o desenvolvimento do quadro, é que, hoje, as mulheres menstruam cerca de 400 vezes ao longo da vida. No início do século XX, esse número era 10 vezes menor, pois, naquela época, as gestações eram mais frequentes, o que diminuía os ciclos.

Por causa dessa nova realidade, em que menos descendentes são gerados, a endometriose é apelidada de “mal da mulher moderna”.

Quais os riscos dessa doença para quem deseja engravidar?

A relação entre endometriose e gravidez é delicada, visto que a doença é uma das principais causas de infertilidade.

Quando as células endometriais começam a crescer em órgãos importantes para a concepção, como nas trompas e nos ovários, o processo inflamatório decorrente da doença resulta na criação de cicatrizes nesses locais.

Como consequência do crescimento de tecido cicatricial, mudanças anatômicas ocorrem, as quais impedem o funcionamento das trompas, onde ocorre a fecundação. Nos ovários, a qualidade do óvulo e a ovulação também são prejudicadas.

Existe perigo para as mulheres que já estão grávidas?

Para as mulheres com endometriose que conseguiram engravidar, há um risco maior de gravidez ectópica e aborto espontâneo. Após as 24 semanas de gestação, essas mulheres também apresentam mais chances de sofrer complicações, como hemorragias e parto prematuro.

Por esse motivo, essas gestantes devem ser acompanhadas durante toda a gravidez. Procure seu médico para receber as recomendações adequadas e o melhor tratamento para o seu caso. Assim, é possível ter o total controle sobre a situação e uma gestação mais tranquila.

Como é o diagnóstico?

Um dos principais problemas da endometriose é a dificuldade em fazer o seu diagnóstico. Muitas mulheres confundem seus sintomas com os que ocorrem naturalmente durante o período menstrual e descobrem essa condição apenas quando tentam engravidar e não conseguem.

Por isso, é muito importante que você faça consultas periódicas com um ginecologista. Somente assim, é possível detectar doenças no sistema reprodutor feminino e impedir que elas prejudiquem a sua qualidade de vida.

A endometriose surge desde o primeiro ciclo menstrual, ainda na adolescência, e se estende até o início da menopausa, provocando seus sintomas nada agradáveis caso não seja tratada.

Para fazer o diagnóstico, após as queixas da paciente na consulta, o médico vai pedir alguns exames confirmatórios, como testes sanguíneos, ultrassonografia transvaginal e, em alguns casos, até uma ressonância magnética ou tomografia.

Caso apontem indícios da doença, a próxima etapa é fazer uma laparoscopia, um procedimento minimamente invasivo que permite o diagnóstico preciso por meio de uma biópsia do tecido endometrial coletado.

Qual é o tratamento?

Para cessar o processo inflamatório desencadeado pela endometriose e, assim, amenizar os seus sintomas, é preciso tratá-la. Quadros leves ou moderados podem ser controlados com o uso de medicamentos anticoncepcionais, como a pílula, injeções ou dispositivo intrauterino (DIU).

Quando a endometriose já está mais avançada ou caso mulher queira engravidar, a laparoscopia, mesmo procedimento de diagnóstico, é a melhor opção. Durante a técnica, realizada por meio de três pequenos orifícios no abdômen, o cirurgião remove ou destrói o tecido endometrial por completo com laser.

É possível engravidar depois do tratamento?

Após controlar a doença, a chance de fecundação natural depende de uma combinação de fatores, entre eles o comprometimento da região, principalmente das trompas, e a idade da mulher.

Para as mais jovens, o índice de sucesso de gravidez espontânea chega a 65%. Caso ela já tenha passado dos 35, todavia, a probabilidade de engravidar naturalmente diminui muito.

Nesses casos, a gravidez pode ser conquistada por meio da fertilização in vitro (FIV), procedimento no qual o encontro do óvulo e do espermatozoide é reproduzido em laboratório e implantado no útero da mulher.

Portanto, se você tem endometriose e deseja engravidar, não se desespere! Os avanços da medicina em tratamentos para endometriose e reprodução assistida, permitem que grande parte das mulheres que sofrem com esse problema possa ser mães.

Agora, que você já sabe um pouco mais sobre a relação entre endometriose e gravidez, não deixe de procurar um médico, caso desconfie que essa seja a causa da sua dificuldade de engravidar. Com o diagnóstico e tratamento adequado, é possível recuperar a sua fertilidade, além de diminuir os sintomas dessa doença, o que melhora seu bem-estar e qualidade de vida.

Quer aprender mais sobre essa condição? Então, leia, agora mesmo, nosso artigo com tudo o que você precisa saber sobre a endometriose! E se você deseja realizar um agendamento médico, não deixe de acessar nosso site. 

Escreva um comentário

Share This