Você sabe o que é hipotireoidismo? Essa doença é uma disfunção na tireoide — glândula do sistema endócrino, reguladora de hormônios e localizada na região anterior do pescoço — caracterizada pela queda na produção da triiodotironina (T3) e tiroxina (T4).

Devido a isso, essas substâncias não são produzidas em quantidade suficiente para o organismo. Embora seja mais comum em mulheres acima dos 50 anos e com histórico familiar, também atinge outras pessoas, independente de idade ou gênero.

Por ser uma enfermidade que compromete a qualidade de vida e acomete cerca de 5 milhões de brasileiros, preparamos este post para tratar do assunto. Continue conosco para conferir!

Quais as causas do hipotireoidismo?

A glândula hipófise — localizada no cérebro — controla a produção de T3 e T4 pela tireoide por meio do hormônio TSH, responsável por estimulá-la. O hipotireoidismo pode ser causado quando há um problema na tireoide, o qual a impede de secretar o T3 e T4, ou uma alteração na hipófise que inibe a secreção do TSH e, consequentemente, a produção dessas substâncias.

Entretanto, sua principal causa é a disfunção autoimune denominada Tireoidite de Hashimoto. Por motivos desconhecidos, nosso organismo produz anticorpos que deterioram a tireoide e diminuem sua capacidade de produzir hormônios.

Quais os sinais e sintomas dessa doença?

Os sinais e sintomas de hipotireoidismo variam de acordo com a gravidade do caso. Em sua maioria, ao se manifestarem, costumam se desenvolver lentamente até por muitos anos. Alterações marcantes no metabolismo ficam mais evidentes e levam o indivíduo a procurar auxílio médico. Entre os sinais e sintomas que podem indicar o funcionamento deficiente da tireoide estão:

  • pele seca, como aparência pálida e fria, seguida de enfraquecimento de unhas e cabelo;
  • cansaço, com movimentos e fala lentos;
  • prisão de ventre;
  • bócio (aumento da tireoide, tornando-a perceptível como abaulamento na região do pescoço);
  • inchaço e ganho de peso.

Como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico da doença é realizado quando o profissional observa sinais e sintomas durante uma consulta médica, e faz associação aos resultados do exame de sangue TSH, T3 e T4, anticorpos contra a tireoide, ultrassonografia — quando há presença de nódulos — e mapeamento da tireoide.

Por ser comum em mulheres, alguns médicos recomendam a realização de exames de rotina para checar o funcionamento da tireoide ao longo dos anos. O mesmo check-up é recomendado para mulheres grávidas ou que planejam engravidar.

Hipotireoidismo tem tratamento?

Atualmente, o tratamento para essa doença envolve o uso diário de levotiroxina, a versão sintética do hormônio T4. Essa substância restaura os níveis hormonais, reverte sinais e sintomas, auxilia a reduzir gradualmente os níveis de colesterol e a contornar o eventual ganho de peso provocado pelo hipotireoidismo.

Os primeiros resultados começam a aparecer com 2 semanas após seu início. Porém, o excesso do hormônio pode causar efeitos colaterais como tremores, insônia, e palpitações. Por isso é importante o acompanhamento médico com um endocrinologista, que verificará o nível de TSH e determinará a dose exata do medicamento.

Agora que você sabe o que é hipotireoidismo, fique atento se tiver os sintomas ou caso uma pessoa da sua família os relate, pois é essencial procurar atendimento médico para evitar maiores complicações. Você pode fazer isso de forma rápida, fácil, e econômica sem precisar sair de casa!

Gostou do nosso artigo? Então, compartilhe-o com seus amigos nas suas redes sociais para mantê-los informados também!

 


Escreva um comentário

Share This