Mulher jovem sentada sendo afetada pelos sintomas da depressão.
|

O que a depressão pode causar no corpo? Quais são os sintomas psicológicos e físicos? Confira isso e mais!

Embora a depressão seja um distúrbio que afeta a área psicomotora e tem em sua maioria sintomas relacionados a essa região do corpo, ela também pode afetar a parte física do corpo. 

Isso acontece pelo simples fato de que o cérebro é responsável por comandar todas as funções do nosso corpo, desde os sentimentos até as sensações.

Logo, quando estudamos o que é a depressão estamos falando de acontecimentos químicos ocasionados por diversos fatores internos e externos na região do cérebro, sendo assim, entender o que a depressão pode causar no corpo é uma forma de compreender mais afundo sobre o assunto.

E quando falamos do processo de dor, essa é uma sensação que só sentimos porque as terminações nervosas enviam uma mensagem para o cérebro ocasionar a dor como um método de nos defender de algo que esteja ocorrendo. 

Logo, a dor, que é uma sensação física, e a depressão, que é uma doença psicológica, agem no mesmo local. Por isso não é difícil de imaginar porque a depressão pode afetar outras partes do corpo que não seja somente a nossa mente. No entanto, a pergunta é, como isso acontece exatamente? 

Homem jovem com dores físicas em razão dos efeitos da depressão.
A depressão pode gerar dores físicas e psicológicas no paciente.

A depressão é uma doença incapacitante, pois ela compromete, além do funcionamento cognitivo de um indivíduo, as suas capacidades físicas. Ela é muito comum e atinge uma grande parte da população e de qualquer faixa etária, embora seja mais comum entre mulheres e idosos. 

Isso acontece porque idosos estão em uma fase que podem já ter perdido muitos entes queridos, ainda convivem com doenças e precisam lidar com o abandono da família. 

Já entre as mulheres, fatores como jornadas duplas de trabalho e cuidado extremo em relação a outras pessoas que não sejam elas, além de disfunções hormonais, são o motivo de serem mais vítimas de quadros depressivos do que os homens. 

Imagem ilustrativa de pessoas afetadas pela depressão.
A depressão afeta indivíduos em diferentes etapas da vida, independente da idade, sexo ou etnia.

Essa doença pode tornar a pessoa com uma vida cada vez mais reclusa, atrapalhando assim suas relações sociais e profissionais. Ela anda de mãos dadas com o estresse e a ansiedade, sendo que um pode ser a causa do outro. 

De acordo com a ordem mundial de saúde (OMS), mais de trezentos milhões de pessoas em todo o mundo já passaram ou passam por algum tipo de quadro depressivo. E com o aumento exponencial do número de pessoas adoecendo dessa enfermidade, ela já é considerada como o mal do século XXI. 

No Brasil, existe uma média de mais de onze milhões de pessoas que possuem depressão. E dentre os continentes americanos, nós só perdemos para os Estados Unidos em relação ao número de pessoas depressivas. 

Essa é, nesse século, a doença que mais mata pessoas na faixa etária de 15 a 29 anos, devido à elevação considerável do número de suicidas. E, com o isolamento decorrente da pandemia de coronavírus que tivemos, isso só se agravou, pois ocasionou que pessoas ficassem presas dentro de suas casas para evitar a contaminação do coronavírus. 

Desde o início da pandemia, segundo uma pesquisa feita em 23 estados brasileiros, constatou-se um aumento de 90% dos casos de depressão em todo o Brasil.

Devido a esse considerável aumento de casos, é importante manter-se informado quanto às causas da depressão e formas de prevenção, neste momento delicado que vivemos é preciso estar atento não apenas a nossa saúde, mas das pessoas que nos cercam. 

Sintomas e causas 

Os sintomas da depressão podem variar de acordo com cada pessoa, pois o organismo e a personalidade de cada um é único, no entanto é possível, com um pouco de atenção, reconhecer a partir de alguns que sejam mais comuns, se há ou não a necessidade da busca por ajuda de um profissional. Os sintomas são:

  • Tristeza sem fim e sensação de angústia;
  • Duração desses sintomas por mais de duas semanas;
  • Irritação constante;
  • Fadiga e cansaço;
  • Dores pelo corpo, principalmente na região da cabeça;
  • Crises de ansiedade;
  • Choros involuntários;
  • Perda ou ganho de peso;
  • Problemas para dormir, sono excessivo ou insônia;
  • Desânimo frente a tarefa cotidianas;
  • Perda de apetite ou fome excessiva;
  • Pensamentos pessimistas e até suicidas;
  • Sentir culpa por tudo;
  • Entre outros.

As causas podem ser muitas, que vão desde internas, como problemas biológicos e hereditariedade, até perda de emprego, brigas, separação, luto, que são consideradas causas externas. Algumas vezes ainda, o problema pode surgir até mesmo sem uma causa aparente, ou devido a outras doenças preexistentes.

Aos poucos, uma pessoa que se encontra depressiva perde o prazer pela vida e por outras coisas das quais gostava.

Mulher deitada na cama.
Mulher com depressão sem vontade de sair da cama.

Ela pode começar de uma forma branda com um quadro leve que pode não atrapalhar o dia a dia, mas com o tempo e com a falta devida do atendimento especializado, o diagnóstico e tratamento esse quadro pode evoluir para as fases moderadas e chegar até uma etapa grave e profunda

Procurar atendimento médico especializado quanto antes é de extrema importância, pois quanto mais doente o paciente estiver, mais difícil será a busca por recuperação. 

Além das causas citadas anteriormente, outras também podem ser bastante comuns, como provocadoras de um quadro depressivo são: 

  • Outros tipos de transtornos mentais relacionados à doença;
  • Estresse e ansiedade;
  • Desequilíbrio hormonal e problemas com a tireoide;
  • Obesidade;
  • Sedentarismo;
  • Alimentação pouco saudável em excesso;
  • Vícios;
  • Excesso de tempo na internet e redes sociais;
  • Traumas físicos e psicológicos;
  • Fibromialgia e outras dores crônicas;
  • Entre outros.

É preciso estar atento a essas causas, principalmente se houver risco genético, como parentes próximos que já tenham sofrido ou sofrem de depressão.

Em muitos casos, as pessoas com depressão têm receio de buscar ajuda, sendo assim, a melhor forma de se prevenir ou de reconhecer a existência de algum problema deve partir de pessoas próximas como amigos e familiares. 

A depressão e os seus sintomas físicos 

Normalmente os sintomas físicos que ocorrem são o choro excessivo, que pode causar dores de cabeça fortes.

Além disso, outros fatores físicos podem também incomodar uma pessoa com depressão, sintomas que vão além dos considerados psíquicos, vejamos alguns deles. 

Dores no corpo – Com a depressão, ocorre um desfalque do hormônio serotonina em nosso organismo. Esse é um dos hormônios responsáveis pelo nosso bem-estar e até mesmo alegria. Além disso, a falta dessa substância e da dopamina em nosso cérebro, podem ser a causa de outras áreas do corpo sofrerem também, como esses neurotransmissores estão em falta, pode ocorrer a falha na inibição do processo de dor. 

Problemas digestivos – Quando uma pessoa sofre de problemas digestivos sem uma causa aparente, pode ser considerado um dos sintomas decorrentes da depressão, embora não haja um consenso sobre o porquê isso acontece, alguns médicos também acreditam que seja devido a falta de serotonina.  

Transtornos alimentares – A depressão está sempre associada a esses tipos de problemas de saúde, pois provoca a alterações alimentares que podem depender de cada pessoa. Algumas podem parar de comer e acabar emagrecendo, enquanto outras podem comer mais e engordar. Além disso, outro fator da depressão que pode causar obesidade é a disfunção hormonal. 

Falta de ar, sudorese e taquicardia – Esses são sintomas que costumam acontecer no corpo durante uma crise de ansiedade. Esta por sua vez, dificilmente deixa de complementar o quadro de depressão. 

Doenças cardiovasculares – A depressão é responsável por manter os níveis de cortisol no sangue muito elevados, o que acaba danificando os vasos sanguíneos e o coração. 

Hipertensão – O mesmo cortisol que prejudica o funcionamento do coração, também pode ocasionar em problemas de pressão alta, pois ele mantém os vasos com certa obstrução. 

Esses são apenas alguns dos sintomas físicos mais comuns que são relatados entre pessoas que sofrem de depressão, além desses ainda há outros que poderão surgir de acordo com o organismo e os problemas pré existentes que cada um possui. 

A melhor forma de evitar uma piora do seu quadro depressivo e assim evitar ao máximo esses e outros sintomas, é frequentando o médico especialista e seguindo o tratamento indicado de forma correta. Além disso, certas mudanças na vida podem também auxiliar no tratamento e na melhora mais rápida. 

Ilustração de vida saudável.
Ter uma rotina saudável ajuda a prevenir e combater a depressão.

Mudanças como: Prática de exercícios físicos, escolha de alimentos mais saudáveis, abandono de hábitos pouco saudáveis, cuidar de si mesmo, entre outros podem fazer a diferença entre você ser um pessoa saudável e que lida melhor com as adversidades da vida, além de melhorar a qualidade de vida em vários outros aspectos também. 

Você reconhece os sintomas da depressão em você ou em alguém? No BoaConsulta você encontra os melhores Psicólogos e Médicos psiquiatras especialistas em depressão, agende sua consulta online e seja atendido por videochamada ou presencialmente.

Histórias recentes

Postagens similares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.