Muitas pessoas, ao sentirem dores do corpo causadas por problemas de articulações, ossos e músculos, têm como principal solução tomar medicamentos e realizar cirurgias. No entanto, existem outros meios alternativos e menos invasivos de tratamento, como a osteopatia.

Esse método é capaz de diagnosticar o problema que está incomodando o paciente. A partir disso, o profissional deve focar na pessoa e nas causas da doença e não somente em tratar diretamente o problema isoladamente dos fatores que o causaram.

A osteopatia continua sendo estudada e aprimorada a cada dia desde sua criação, em 1874, pelo médico Andrew Taylor Still, para garantir melhores resultados. Ficou interessado em saber para quais doenças é indicada e como ela é feita? Continue acompanhando a leitura para conferir!

Quais são as doenças que podem ser tratadas com a osteopatia?

A osteopatia é capaz de lidar com uma infinidade de doenças atuais, que costumam causar dores intensas e atrapalhar o dia a dia. Apesar de a maior parte das pessoas que procura os osteopatas ser adulta ou idosa, as crianças e adolescentes também podem fazer esse tipo de tratamento.

Para isso, só é preciso que o osteopata diagnostique um problema que esteja dentro do seu campo de atuação. Entenda um pouco mais a seguir!

Escoliose

A escoliose é uma condição na formação da coluna vertebral que faz com que ela seja torta para as laterais e tenha um formato semelhante ao de um “S”. Com o passar do tempo o problema vai se agravando de maneira que a pessoa fica desalinhada e assimétrica.

O ideal é que a escoliose seja diagnosticada e tratada desde cedo, quando tiver origem de nascença. Afinal, da adolescência até a vida adulta a coluna ainda pode ser “moldada”. Em casos mais graves, há também a opção de fazer cirurgia para alinhar a coluna. Contudo, o procedimento não é capaz de endireitar completamente as vértebras

Não há cura para esse problema, apenas um tratamento de longo prazo, junto com uma mudança de hábitos, como a prática de exercícios físicos. Dessa maneira, o ideal é investir em um tratamento para que os incômodos fiquem mais amenos.

Hérnia de disco

A hérnia de disco é um problema grave que ocorre quando um disco invertebral (responsável por ligar as vértebras da coluna e amortecer o contato delas) se desgasta ou se desloca. Ela pode atingir a região lombar (no final das costas), cervical (na área do pescoço) ou torácica (na parte do meio das costas).

A hérnia costuma ser desencadeada pelo desgaste natural ou não dos discos e tem como principais fatores de risco o sedentarismo, sobrecarga por excesso de peso, movimentação repetitiva, má postura, velhice e a prática de atividades de grande impacto.

Quem sofre desse mal tende a sentir dores na região que foi afetada, além de formigamentos, dormência e falta de força. Seu tratamento pode incluir a osteopatia para aliviar as dores fortes, realinhar a coluna e recuperar a qualidade de vida.

Lombalgias

A lombalgia nada mais é do que a dor na lombar, geralmente descrita como “costas travadas”. O incômodo pode chegar a se estender pelas nádegas e parte das coxas. Esse problema apresenta duas classificações: crônica (quando dura ao menos 12 meses) e aguda (casos em que a dor tem duração de 4 a 6 semanas).

Geralmente é desencadeada ao fazer torções, aplicar força excessiva para levantar objetos pesados ou devido à má postura ao se sentar, realizar atividades e, até mesmo, ao dormir de mau jeito. Além disso, a lombalgia também pode ser um indício de outra doença, como hérnia de disco, artrose, infecções e problemas emocionais.

Síndrome do túnel do carpo

É caracterizado pela compressão de um nervo que se situa entre as mãos e punhos, o mediano no canal do carpo. A síndrome do túnel do carpo é causada geralmente pela Lesão por Esforço Repetitivo (LER), traumas ou inflamações.

Em geral, o paciente sente formigamento, dor e dormência nas mãos, punhos e o incômodo pode subir pelo braço, chegando até os ombros. Se não for tratada logo ao se iniciar, a pessoa pode vir a ter dificuldades em fazer tarefas e movimentos simples, como segurar uma xícara.

Por outro lado, ao realizar um tratamento adequado antes da doença se agravar é possível que a função das mãos não se afete e que a dor e sintomas sejam controlados.

Ciática

A ciática ou dor no nervo ciático é causada pela inflamação ou compressão dessa parte do corpo. O nervo ciático começa no final das costas e vai até os pés, sendo o maior do nosso corpo. Esse problema se inicia quando há situações que pressionam alguma parte do ciático, como lesão ou fratura na região pélvica, hérnia de disco, entre outros.

Ademais, existem fatores de risco como a obesidade, idade avançada, levantar muito peso, diabetes e sedentarismo. Tudo isso pode levar a uma dor intensa em toda a extensão do ciático ou em partes, fraqueza e queimação nas pernas, incômodos ao caminhar etc.

Como a osteopatia é feita?

Na primeira etapa, o profissional deve avaliar a situação do paciente por meio do relato dos sintomas e problemas. Em seguida, podem ser feitos alguns testes e perguntas. Só então o osteopata poderá começar a parte manual. Durante o tratamento são utilizadas diversas técnicas, que variam de acordo com a doença de cada paciente.

Geralmente são utilizadas apenas as mãos em contato com o corpo para trabalhar no problema e aliviar os sintomas. As sessões duram aproximadamente uma hora, sendo que a frequência e tempo de tratamento dependerão do que foi identificado.

Se você está com algum problema já diagnosticado ou tem sentido dores e incômodos pelo corpo, vale a pena conhecer um pouco mais sobre a osteopatia como método alternativo para tratar o que incomoda você. Sendo assim, procure já um profissional qualificado e coloque sua saúde em dia!

 


Escreva um comentário

Share This