A teleconsulta não é mais novidade na psicologia. Muitos profissionais têm prestado atendimento à distância, e o uso da tecnologia tem se mostrado muito benéfico tanto para os psicólogos como para seus pacientes. 

Com a chegada da Covid-19 e a instauração da pandemia no país, que acabou trazendo desafios para o exercício profissional da psicologia, esse tipo de consulta tornou-se ainda mais popular. 

A atuação de psicólogos passa a ser essencial nesse novo cenário, em especial contribuindo para que a sociedade conscientize-se a respeito da crise, e coloque em prática as medidas preventivas recomendadas pelo Ministério da Saúde

De forma geral, o cuidado com a saúde psicológica tem ganhado mais evidência nos últimos anos, e facilitar o acesso a esses profissionais é o único caminho para prevenirmos surtos de depressão e ansiedade, problemas que se tornam cada vez mais comuns. 

Ao longo desse artigo, você conhecerá todos os benefícios da teleconsulta para a área da psicologia, e descobrirá como a tecnologia pode ajudar a proteger a saúde da população. 

O que diz o Conselho Federal de Psicologia sobre o assunto

O Conselho Federal de Psicologia (CFP), abraçou a novidade desde o início, em especial pelos avanços e conquistas que ela representa para todos, inclusive para a população. Embora muitos profissionais tenham sentidos-se receosos, a verdade é que com a normatização das novas ferramentas é possível garantir um atendimento seguro e eficaz.

Atualmente, 5,8% da população brasileira sofre com depressão, a maior taxa do continente latino-americano. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), na última década o número de pessoas em depressão aumentou 18,4%, são mais 322 milhões de doentes. Situação similar acontece com os transtornos de ansiedade. 

Esse cenário é prova da necessidade de ampliarmos o acesso à profissionais da psicologia e da importância do cuidado com a saúde mental. 

A verdade é que a regulamentação do serviço de orientação psicológica através da internet facilita o acesso de todos a um tipo de atendimento que até então não era acessível para muitas pessoas. 

Ciente da importância do acompanhamento psicológico, o CFP acredita na expansão e exploração do uso das tecnologias de comunicação como uma forma de levar atendimento psicológico de qualidade, bem como hoje têm sido oferecidos diversos serviços por meio da telemedicina. 

O que mudou com a chegada da pandemia?

Até então estava em vigor a Resolução CFP nº 11/2018, que regulamenta a prestação de serviços psicológicos online, garantindo a segurança e a eficácia desse tipo de atendimento. 

Uma nova resolução foi emitida recentemente como uma resposta às dúvidas e demandas da categoria em relação ao enfrentamento da pandemia, e a necessidade de distanciamento social. 

A mais recente normativa, que visa regulamentar o uso das tecnologias da comunicação para teleconsultas em tempos de pandemia, foi assinada pela presidente do CFP, Ana Sandra Fernandes e reforça questões importantes do Código de Ética Profissional, além da importância do cadastro prévio desses profissionais na plataforma e-Psi junto ao Conselho Regional de Psicologia, que são prerrogativas para o atendimento à distância. 

Ainda de acordo com o documento, ficam suspensos os Art. 3º, Art. 4º, Art. 6º, Art. 7º e Art. 8º da Resolução CFP nº 11, de 11 de maio de 2018 no período de estado de calamidade declarado pelas autoridades de saúde. Clique aqui para ter acesso à Resolução CFP nº 11/2018 e verificar o que mudou. 

Tais mudanças, possuem como objetivo evitar a descontinuidade da assistência à população em meio à crise. Também são uma alternativa para ampliar o acesso de todos a saúde psicológica, tendo em vista um possível aumento da demanda por auxílio psicológicos diante da pandemia. 

O que está permitido?

As discussões relacionadas a psicologia através de teleconsulta começaram já há algum tempo, mais especificamente em 2000, com a publicação da resolução CFP N° 003/2000. O tema continuou sendo pauta em novos documentos: CFP N° 012/2005 e CFP N° 011/ 2012 e na já citada resolução CFP nº 11/2018, todas elas disponíveis no site oficial do CFP. 

Juntas, essas resoluções estabelecem normas referentes a prestação de serviços em orientação psicológica através de recursos tecnológicos. Atualmente, devem ser levadas em conta as mudanças propostas para o momento de pandemia. 

Estão autorizados os seguintes serviços de forma virtual: 

Atendimentos de orientação psicológica

Os atendimentos de orientação psicológica podem ser realizados tanto entre profissionais, e para aprendizagem, como para consultas individuais. 

As teleconsultas podem ser síncronas ou assíncronas, ou seja, em tempo real ou não, respectivamente, desde que os recursos utilizados atendam aos requisitos de segurança. 

Em sua maioria, são realizadas por meio de videochamada utilizando estratégias de intervenção da psicoterapia: psicoeducação, psicoterapia cognitivo-comportamental e psicoterapias interpessoais.

Se o paciente for identificado com potencial risco ou sintomatologia muito intensa, pode ser necessário atendimento presencial ou encaminhamento para psiquiatria. 

Processos seletivos de pessoal em suas etapas iniciais

Os processos seletivos virtuais com a participação de psicólogos já estão regulamentados e são realidade em diversas empresas.

Aplicação de testes psicológicos

Os testes psicológicos também podem ser aplicados por meio da tecnologia de forma virtual, desde que sejam cumpridas as normas de regulamentação previstas nas resoluções do Conselho. 

Regulamentação

Embora o Conselho Federal de Psicologia seja a favor da teleconsulta, o órgão é consciente quanto as questões que envolvem esse tipo de atendimento, exigindo um comprometimento do profissional com a regulamentação. 

Como vimos, o atendimento psicológico à distância já era permitido antes mesmo da pandemia. Contudo, era necessária a aprovação de um cadastro prévio no e-Psi. Atualmente, apesar do cadastro ainda obrigatório, não é necessário aguardar aprovação.

Essa flexibilização não é definitiva, mas deve durar durante todo o tempo de pandemia. Em todo caso, deve-se ficar atento às normas em vigor para prestação desse tipo de serviço. 

Atendimentos de urgência, por exemplo, devem ser prioritariamente presencias. Quando não for possível ir até o cliente em um momento de crise, o profissional deve fazer o atendimento, encaminhando o paciente para equipes presenciais assim que possível. 

Algumas outras questões devem ser consideradas como prevê a regulamentação para prestação de serviço de psicologia através de teleconsulta. Veja abaixo. 

Sigilo e Confidencialidade

De acordo com o artigo 9° do Código de Ética Profissional do Psicólogo, é dever do psicólogo respeitar o sigilo profissional, protegendo a intimidade de seus clientes, bem como de grupos e organizações com quem trabalhe. 

Independente do tipo de atendimento utilizado, sigilo e confidenciabilidade são fundamentais, e devem ser preservados da melhor maneira possível. Tais coisas se aplicam inclusiva em intervenções que não tenham um caráter essencialmente clínico.  

Qualidade dos serviços prestados 

É indiscutível essa questão. A qualidade dos serviços prestados deve ser mantida durante a teleconsulta com a mesma cautela de um atendimento presencial. 

Veja o que diz o Princípio Fundamental VI do Código de Ética Profissional do Psicólogo:

“O psicólogo zelará para que o exercício profissional seja efetuado com dignidade, rejeitando situações em que a Psicologia esteja sendo aviltada”. 

O exercício da profissão requer compromisso e responsabilidade, o que não é diferente na prestação de serviços online. Escolher dispositivos adequados e assegurar a qualidade do atendimento, devem ser algumas das preocupações do psicólogo. 

Mesmo em uma teleconsulta, deve ser priorizada uma escuta qualificada, em consonância com os parâmetros legais e ainda com questões adversas peculiares que vivenciamos no momento atual. 

Serviços regulamentados

O Código de Ética Profissional do Psicólogo regulamenta também a oferta de serviços. Segundo artigo 2°, não é permitido “prestar serviços ou vincular o título de psicólogo a serviços de atendimento psicológico cujos procedimentos, técnicas e meios não estejam regulamentados ou reconhecidos pela profissão”.

Mesmo em meio á crise, onde podem surgir muitas demandas de caráter emergencial, deve-se sempre ficar atento aos parâmetros científicos da profissão. Nenhuma intervenção deve ser realizada em desacordo com as resoluções do Conselho, que garantem a qualidade do serviço oferecido e a segurança das pessoas atendidas. 

Produção de Registros Psicológicos

“A utilização de quaisquer meios de registro e observação da prática psicológica obedecerá às normas deste Código e a legislação profissional vigente, devendo o usuário ou beneficiário, desde o início, ser informado”, conforme prevê o artigo 14° do Código de Ética Profissional do Psicólogo.

Bem como em atendimentos presenciais, tais registros devem ser produzidos em conformidade com as Resoluções CFP nº. 01/2009, da mesma forma todos os documentos psicológicos de cada paciente.

Como é a teleconsulta com psicólogo? 

Discutidas questões importantes como o posicionamento do Conselho Federal de Psicologia e as regulamentações que normatizam o atendimento psicológico à distância, vamos para aspectos mais práticos. 

Primeiramente, é preciso ressaltar que, embora tenha se tornado a opção ideal neste momento de pandemia, a teleconsulta não vem para substituir o atendimento presencial, mas sim para complementá-lo. 

Como vimos, a ideia é ampliar o acesso à saúde mental, que ainda é limitado a alguns grupos. Com a ajuda da tecnologia, é possível levar atendimento de qualidade a todos, independente da distância. 

Na prática, a telemedicina funciona através de uma combinação de ferramentas tecnológicas, geralmente um software específico, um smartphone ou um computador. 

Alguns pré-requisitos básicos garantem a eficácia do atendimento: 

  • Estrutura adequada
  • Atender aos preceitos éticos de beneficência, não-maleficência e autonomia
  • Garantia de consentimento e segurança
  • Informações a respeito da formação do especialista 
  • Expertise para este tipo de atendimento 

Além disso, outros detalhes precisam ser levados em conta, como: 

  • É obrigatório o registro da empresa no Cadastro de Pessoa Jurídica no Conselho Federal de Psicologia
  • O profissional deve ter documentação que comprove o seu registro no conselho também como Pessoa Física;
  • Deve ser realizado registro da teleconsulta bem como seria feito em uma consulta presencial;
  • No relatório da teleconsulta deve constar o sistema utilizado para coleta de dados e trocas de informações entre o profissional e seu paciente.

A consulta em si, acontece basicamente como um atendimento presencial, por meio de uma conversa direcionada entre o profissional e seu paciente. 

Quais os benefícios dos atendimentos virtuais?

A teleconsulta representa uma conquista tanto para psicólogos como para a população de maneira geral. Embora a possibilidade tenha sido implementada de maneira lenta e discreta até a chegada da pandemia, e a novidade venha acompanhada de novas responsabilidades e desafios, todo o esforço e investimento representam uma grande conquista. 

É claro que ainda existem desafios, é necessário buscar formas de capacitação para a orientação não presencial, afinal é imprescindível a manutenção da qualidade do atendimento. 

O domínio das ferramentas de comunicação é também um fator indiscutível, para que todas as possibilidades de ganhos sejam alcançadas, é necessário que esses profissionais estejam familiarizados com suas novas ferramentas de trabalho. 

Os recursos tecnológicos são hoje em dia uma tendência crescente na área da saúde, e a prestação de serviços virtuais é praticada não somente por psicólogos, mas por médicos, nutricionistas, fonoaudiólogos, dentre outros.

Em todos os casos, as teleconsultas são uma forma de ampliar o campo de atuação desses profissionais, sem é claro perder o que é essencial a seus serviços, garantindo segurança e saúde a população. 

Há ainda no Brasil uma grande demanda por atendimentos psicológicos e uma considerável falta desses profissionais, em especial no que se trata de regiões mais distantes dos grandes centros. 

De fato, é incontestável, os atendimentos remotos são a resposta para essa carência. Além disso, minimizam a necessidade de deslocamento até mesmo nos grandes centros, a aglomeração de pessoas em sala de espera, dentre outros problemas que dificilmente seriam solucionados de outra maneira. 

Conheça a seguir 10 benefícios da prestação de serviços de psicologia através da teleconsulta. 

1 – Mais acessibilidade

O primeiro benefício já foi brevemente citado, mas merece um pouco mais da nossa atenção. A teleconsulta amplia o mapa de atendimento, alcançando pacientes de todas as regiões do país independente de sua localização. 

Mesmo a distância é possível fazer diagnósticos, testes psicológicos e acompanhamento, esses profissionais estendem sua atuação e passam a alcançar pessoas que não teriam como ter acesso a esses cuidados de uma outra maneira. 

2 – Diminuição da necessidade de deslocamento

Graças ao uso das tecnologias da comunicação como forma de interação entre psicólogos e seus pacientes, não há necessidade alguma de deslocamento nem do profissional, nem da pessoa que será atendida. 

Isso facilita bastante, em especial para redução de custos e do tempos de espera, fazendo com que diagnósticos sejam realizados de maneira precoce, o que contribui para recuperação rápida do paciente e da sua saúde mental, desempenho e qualidade de vida. 

Mesmo se houver necessidade de encaminhamento, o psicólogo pode fazer isso por meio da teleconsulta, orientando o paciente a procurar um psiquiatra, por exemplo, atendimento que atualmente também pode ser prestado de maneira remota. 

3 – Beneficia o relacionamento com o paciente

O relacionamento entre o psicólogo e seu paciente é uma das grandes preocupações quando se fala em atendimento à distância. Não podemos discordar que a teleconsulta gera um afastamento físico. 

Contudo, em um mundo onde todos nós mantemos relações online, tanto afetivas, como de trabalho, não há dúvida de que é possível adaptação. 

Além disso, há ainda benefícios nessa nova maneira de se relacionar, em especial se olharmos para o lado do paciente. 

A teleconsulta amplia esse contato, tornando-o mais frequente e aberto. O paciente pode, por exemplo, contatar o seu psicólogo para tirar uma dúvida sem precisar aguardar um espaço na agenda do consultório. 

Com isso, a relação é facilmente consolidada, nascendo um elo de confiança que aumenta a adesão ao tratamento e, desta forma, seus resultados. 

4 – Melhora no acompanhamento de doentes 

Entender essa melhora no acompanhamento dos doentes fica mais fácil após discutirmos os impactos da teleconsulta com o psicólogo à distância. 

O indivíduo não precisa se preocupar tanto, já que tem fácil acesso ao profissional. Diante de qualquer anormalidade, ele poderá contatar com facilidade o seu psicólogo, evitando complicações. 

Quando se trata de saúde mental tal coisa é especialmente importante, já que muitas doenças se manifestam por meio de crises esporádicas que devem ser controladas o mais rápido possível.

5 – Diagnóstico precoce

Sem dúvidas, esse é um dos principais benefícios da psicologia através de teleconsulta. Graças a tecnologia, o paciente passa menos tempo aguardando para ser atendido, essa orientação precoce faz toda a diferença, em especial no que se trata de saúde mental. 

Em uma situação crítica é possível entrar com um tratamento mais imediato, ou mesmo um encaminhamento do indivíduo para outros profissionais de saúde.

6 – Troca de informações entre especialistas 

Por meio das plataformas da telemedicina, é possível ainda a troca de informações entre profissionais da área da saúde. Além de dividir experiências, essa conversa amplia e aprimora a técnica de cada um, beneficiando diretamente o paciente. 

Da mesma forma que seria realizado o contato entre o psicólogo e a população, pode ser feito o processo de troca entre especialistas, basta que ambos tenham acesso à plataforma escolhida.

Em caso de trocas entre profissionais de uma mesma equipe, há ainda a vantagem do fácil acesso ao prontuário eletrônico, que fica armazenado na nuvem e pode ser acesso de qualquer hora e em qualquer lugar por pessoas autorizadas, otimizando o trabalho multidisciplinar. 

7 – Centralização dos dados 

Falando em prontuário eletrônico, entramos em um outro benefício muito importante. A teleconsulta, assim como o atendimento presencial, deve ser devidamente registrada em prontuário, que deve conter informações detalhadas do atendimento, além de dados relevantes do paciente e do profissional responsável. 

Esse documento servirá para defesa processual em casos de processos jurídicos, por exemplo. 

Ele é também uma fonte de informações a respeito do indivíduo tratado e seu estado de saúde, o que pode ser útil para uma compreensão do caso a longo prazo, ou mesmo para uma atuação mais abrangente através de uma equipe multidisciplinar. 

8 – Redução de custos 

Um acúmulo de fatores cumina para redução de custos. A verdade é com a teleconsulta tanto o cliente como o profissional acabam economizando. 

Economiza-se com a queda do preço das consultas, que se torna menos custosa para o psicólogo e, portanto, mais acessível para a população. 

Além disso, é minimizada a necessidade de investimento em locais físicos, com grandes salas de espera e arquivos para armazenamento de dados, por exemplo, que maximizam os ganhos financeiros do profissional. 

O paciente, que muitas vezes tinha que investir em meios de transportes, e em caso de distância maiores, em acomodação e alimentação, agora pode ser atendido com tranquilidade sem sair de casa.

Enfim, todos saem economizando. 

9 – Segurança da informação 

Anteriormente, falamos sobre a importância do sigilo e da confidencialidade nos atendimentos psicológicos, e vimos que não é diferente em casos de consultas remotas. 

Embora muitas pessoas se sintam inseguras nesses aspecto quando se trata de teleconsulta, a verdade é que a segurança da informação é mais um de seus muitos benefícios. 

Todos os sistemas utilizados para atendimentos desse tipo ou mesmo para armazenamento de prontuários eletrônicos, possuem segurança de dados em nível bancário. Graças a criptografia e a protocolos HTTPS, os arquivos na nuvem estão muito mais protegidos que um documento armazenado de maneira física. 

Além disso, há uma considerável redução do risco de extravios de prontuários, garantindo ao profissional acesso a todas as informações relevantes para o acompanhamento do paciente, desde que tenha permissão de acesso a tais documentos. 

10 – Prevenção de infecções 

Esse aspecto se torna especialmente vantajoso em um momento de pandemia como o que vivemos. O atendimento remoto evita aglomerações e reduz o contato do indivíduo com outros doentes, diminuindo a necessidade de visitas a clínicas e hospitais. 

Em tempos de coronavírus, um vírus transmitido facilmente por gotículas respiratórias, a possibilidade de orientação psicológica à distância é a solução para quem deseja evitar ao máximo a contaminação. 

O paciente recebe atendimento especializado em sua casa, e se houver necessidade, é direcionado para outros profissionais que, pelo menos em sua maioria, também o acompanharão de maneira remota. 

Cuidar da sua saúde emocional se tornou mais fácil, e isso independe de como está a situação aí na sua cidade em relação à pandemia.

A psicologia agora está acessível a todos. Cuide de você e faça do seu bem-estar uma prioridade! 

Escreva um comentário