psiquiatra ou psicologo?
|

Psiquiatra ou Psicólogo: Qual é o especialista para tratar ansiedade e depressão?

Uma dúvida bastante comum entre as pessoas diz respeito a quem procurar em casos de ansiedade e depressão, psicólogo ou psiquiatra. Na prática, ambos os profissionais podem te auxiliar, mas há algumas diferenças entre eles. Primeiramente, o tratamento é distinto em cada situação, da mesma forma que pode ser preciso um encaminhamento para chegar ao segundo.

De qualquer forma, porém, se faz necessário buscar auxílio se estiver com sintomas que sejam alarmantes. Crises de pânico, suor excessivo, falta de ar, náusea, apatia, culpa e mudanças de humor são alguns dos motivos que podem te levar a essa pesquisa. A boa notícia, entretanto, é que profissionais com as duas especializações poderão lhe auxiliar nessa jornada.

Para entender melhor a diferença entre um psicólogo e um psiquiatra, confira os parágrafos a seguir. Neles, poderá compreender mais afundo cada um dos especialistas, bem como seus tratamentos e quando é indicado buscar por um deles.

Por que buscar por um psicólogo ou um psiquiatra?

Antes de se aprofundar na discussão a respeito de psicólogos ou psiquiatras, se faz necessário entender o que eles têm em comum. Dessa forma, um ponto interessante é que os dois tem a ver com a saúde mental dos pacientes. Com isso, são escolhas bastante indicadas para casos em que se vê distúrbios psicológicos, como ansiedade, depressão e pânico.

por que buscar por um psiquiatra ou psicologo?

Mais do que apenas situações específicas, esses são especialistas que podem te auxiliar de diversas maneiras. Da correria do dia a dia a traumas passados e presentes, os tratamentos de ambos têm a capacidade de lhe ajudar. Não à toa, no período de pandemia, a busca por esse apoio tem crescido rapidamente. De acordo com pesquisa feita pela Ipsos, o Brasil é o quinto país do mundo em que entrevistados mais sentiram uma piora em sua saúde mental. Para se ter uma ideia, 53% deles acreditam que tal agravamento é proveniente da pandemia.

“De maneira geral, a gente tem efeitos causados pela pandemia, então a diminuição das redes sociais, de você poder transitar, de você poder estar em espaços, além de questões sociais de perda de emprego, diminuição de renda. Como as pessoas ficam mais em casa, essas questões do cotidiano, com o isolamento, ficam crescentes e mais difíceis de serem vedadas no dia a dia”

(Fabiana Cristina Amaral Fonseca, gerente do Caps Capela do Socorro)

Qual procurar: Psicólogo ou Psiquiatra?

Dado o aumento nos casos de transtornos psicológicos, diversas foram as pessoas que buscaram por ajuda. Nesse momento, porém, a grande maioria se perdia ao pensar em qual o profissional ideal para auxiliar. De um lado, há os que procuraram por psicólogos, de outro os que investiram em psiquiatras. Mas, afinal, qual a diferença entres os dois especialistas?

Psicólogo

De maneira bastante simples, pode-se descrever os psicólogos como especialistas em transtornos mentais, comportamentais e emocionais. Para realizar o tratamento, então, ele se utiliza de técnicas de psicoterapia, principalmente baseadas no diálogo e em questionamentos. Além disso, pode-se também usar de outras estratégias ao longo do tratamento, como desenhos, exercícios e leituras. Assim, alguns pontos de destaque da profissão são os que seguem.

Formação acadêmica e atuação

A primeira grande diferença entre o psicólogo e o psiquiatra se apresenta em sua formação. No caso da psicologia, este é um curso específico com duração de 5 anos e que abrange os mais distintos cenários. Da psicologia escolar e educacional à jurídica, da hospitalar à neuropsicologia, diversas são as situações em que ela pode ser aplicada. Um ponto interessante de se analisar com esses dados é que a área de atuação dele acaba sendo ampliada.

formação em psicologia

Ainda que haja, sim, aqueles que optam por atender em clínicas, esses profissionais podem ser encontrados em diversos setores. O departamento de Recursos Humanos de grandes empresas é um deles, bem como estudos do comportamento do consumidor. De fato, o conhecimento que tais trabalhadores carregam é vital para inúmeros mercados.

Formas de tratamento

Outro ponto que distingue a atuação do psicólogo e do psiquiatra diz respeito à maneira como eles realizam o tratamento. Durante todo o período junto ao paciente, o psicólogo não se utiliza de medicamentos, até porque não possui tal autorização. Dessa forma, do diagnóstico à alta do paciente, todo o processo é feito por meio do contato entre as pessoas e a troca de informações.

terapia para transtornos mentais

Seu foco, portanto, está no que causa, em termos mentais, o transtorno que a pessoa apresenta. A análise pode ser realizada por meio de conversas, a terapia, que ocorre normalmente entre 2 e 4 vezes por mês, com duração entre 45 e 60 minutos. Ao longo desses encontros, o profissional consegue compreender mais afundo o que aflige o cidadão e, assim, auxiliá-lo.

Você procura auxilio de um profissional para compreender e solucionar questões emocionais e psicológicas? Aqui no BoaConsulta você encontra os melhores Psicólogos, agende sua consulta online e seja atendido por videochamada ou presencialmente.

Psiquiatra

Do outro lado dessa discussão, encontra-se o psiquiatra, um médico com especialização em transtornos mentais. Seu foco, porém, não se encontra apenas no que causa os sintomas, mas também em fatores físicos e hormonais do paciente. Com isso, ele pode se aproveitar de medicamentos para auxiliar na recuperação de uma pessoa de acordo com seu caso. Outras características interessantes a seu respeito podem ser encontradas logo abaixo.

Formação acadêmica e atuação

Ao contrário do psicólogo, o psiquiatra não conta com um curso de graduação exclusivo para sua área. Na verdade, ele deve, assim como outros médicos, cursar medicina e, somente então, optar pela área que deseja seguir. Se este for sua real intenção, se faz necessário uma residência em psiquiatria. No total, então, fala-se de ao menos 6 anos de graduação mais 3 de especialização.

especialização em psiquiatria

Ao longo de todo esse período, o profissional terá contato teórico e prático com a especialidade. Mais do que isso, terá um maior conhecimento no que se refere a casos mais graves dos distúrbios mentais. Exemplos para esse tipo de cenário são transtornos como o autismo, a esquizofrenia e dependência química. E, por conta do diploma em medicina, são considerados doutores e podem prescrever remédios.

Formas de tratamento

É exatamente neste ponto, portanto, que se encontra um dos maiores diferenciais entre esses dois. Enquanto a psicologia se baseia apenas no contato e no diálogo, a psiquiatria pode contar com a ajuda de medicamentos. A ideia, portanto, é que o paciente receba um auxílio medicamentoso para acalmar os sintomas enquanto ele se recupera mentalmente.

quem chamar psiquiatra ou psicologo?

O ideal, então, é que juntamente a esse tratamento com base em remédios, seja feito também um acompanhamento. Neste caso, a premissa é que, durante as consultas, haja também um diálogo para compreender a realidade do paciente. Ao contrário do que muitos pensam, portanto, este não é um profissional que apenas prescreve medicamentos. As consultas tendem a ser demoradas e contar com uma conversa extensa.

Procura ajuda de um psiquiatra? Aqui no BoaConsulta você encontra os melhores Médicos Psiquiatras, agende sua consulta online e seja atendido por video chamada ou presencialmente.

Psicólogo e Psiquiatra trabalhando juntos pode?

Um questionamento bastante comum em meio a tal discussão diz respeito à atuação em conjunto do psicólogo e do psiquiatra. Esta, na verdade, é a melhor situação possível, visto que promove um tratamento completo ao paciente. Mais do que isso, um profissional pode auxiliar o outro e os dois, juntos, podem oferecer resultados muito mais significativos ao indivíduo.

tratamento com psiquiatra ou psicologo

Não existe, então, uma rixa entre os dois trabalhadores, já que suas atividades podem ser, sim, complementares. Para entender esse conceito, basta analisar a periodicidade e o foco de cada um. Enquanto um psiquiatra se encontra com você apenas uma vez a cada 1 ou 3 meses, o psicólogo estará lá a cada 7 ou 15 dias. Além disso, os remédios do primeiro podem facilmente auxiliar no início do tratamento, quando o indivíduo ainda não está confortável nem confiante para se empenhar por completo.

Qual buscar, um psicólogo ou um psiquiatra?

Mesmo com toda a informação descrita acima, pode ser que você ainda esteja confuso. Afinal, deve buscar por um psicólogo ou por um psiquiatra para se tratar? Bom, a resposta pode depender de alguns fatores, mas o primeiro passo já está sendo executado: entender que é preciso ajuda. Agora, você pode contatar qualquer um dos profissionais, até para ver se se adapta ao estilo de atendimento deles.

especialistas em saúde mental

Apenas em casos mais específicos, em que o cenário é grave, sugere-se a imediata consulta com um psiquiatra. Outras situações que requerem o médico são casos de esquizofrenia, bipolaridade e demais transtornos mais sérios. Ainda que possam se beneficiar do auxílio de um psicólogo, sugere-se a busca, primeiramente, por um psiquiatra.

Onde buscar por psicólogos ou psiquiatras?

De fato, os últimos anos não foram fáceis para a grande maioria da população, acarretando inúmeros distúrbios psicológicos. A situação em si é completamente natural, mas requer tratamento para que tal quadro não evolua para algo mais preocupante. Assim, se quiser buscar por um psicólogo ou psiquiatra, conte com quem possui anos de experiência e pleno conhecimento do setor médico.

O BoaConsulta é uma plataforma para agendamento de consultas e exames que apresenta uma experiência 100% online. Por meio de um processo simples, você entra em contato com o médico que deseja, a qualquer momento e com a segurança necessária.

Histórias recentes

Postagens similares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.