Paciente mulher em depressão
|

Quais as etapas de um tratamento de depressão?

A depressão é uma doença mental e comportamental que afeta milhões de pessoas em todo o mundo, com variações de gravidade de diferentes fases de tratamento para cada uma delas, mas como saber qual é o recomendado para cada momento? Bom nesse post, buscaremos explicar mais sobre os assunto e demonstrar quais as etapas de um tratamento de depressão.

Esse tipo de enfermidade é considerada como doença mental e comportamental e afeta a vida de quem sofre dela em todos os âmbitos, desde o social, profissional e sentimental. Tarefas que antes pareciam simples, corriqueiras ou mesmo prazerosas, tornam-se um grande sacrifício para o paciente. 

Sua principal característica é a pessoa acometida por uma tristeza profunda que parece não ter fim, podendo ainda, com a falta de um tratamento adequado, se agravar e ocasionar em outros tipos de doenças físicas ou mesmo no agravamento de outras enfermidades pré existentes. 

Quando uma pessoa repentinamente perde o interesse pela vida e por outras atividades que antes eram interessantes, é preciso estar atento ao quadro de forma geral. Observar sintomas, assim como situações em que eles surgem e ao tempo que duram esses sintomas. 

Mulher jovem sentada na cama com feição triste.
Mulher jovem com depressão profunda, incapacitada de fazer suas atividades mais comuns.

A depressão é uma doença que não tem idade e muito menos etnia, no entanto, devido alguns fatores, pode ser mais comum que ocorra entre as mulheres. De acordo ainda com a ordem mundial de saúde, esta é a doença considerada a quarta mais incapacitante em todo o mundo. 

Essa tristeza e desânimo são resultados de um processo químico que ocorre em nosso organismo. É quando ocorre um desequilíbrio em substâncias que deveriam atuar no cérebro, como por exemplo, a serotonina, neurotransmissor que ajuda a aumentar a sensação de bem estar. 

A doença fica ainda mais perigosa quando sabemos que, além de uma tristeza profunda, a depressão pode ocasionar em sintomas físicos também, assim como agravar problemas de saúde pré existentes. 

O que é a depressão?

Apesar de o termo depressão ter seu significado associado à tristeza e melancolia, o conceito aqui é bem mais amplo. Trata-se de um transtorno mental que pode ser decorrente de fatores genéticos, alterações hormonais, acontecimentos marcantes ou recorrentes.

Basicamente, a depressão se reflete em períodos de tristeza que duram mais que o normal, afetando e modificando a rotina e limitando os hábitos de vida da pessoa. Além disso, ela também pode influenciar o funcionamento básico do organismo, resultando, por exemplo, em dores em diversas partes do corpo.

Por ser um distúrbio mental que pode variar de moderado a incapacitante, a depressão se instaura gradualmente. Por isso, é comum que às vezes o problema demore a ser identificado.

Quais as causas da depressão?

As causas da depressão podem ser as mais diversas, considerando fatore internos e externos como:

Acontecimentos marcantes – Podemos estar falando de qualquer tipo de acontecimento, desde a morte de um  ente querido, a perda de um emprego, uma discussão entre amigos, qualquer tipo de situação estressante pode desencadear em um gatilho capaz de provocar um episódio de depressão. São fatores que podem variar de acordo com a pessoa. Algumas podem sentir mais, outras sentirão menos, mas um fato marcante sempre poderá ser algum tipo de gatilho para alguém. 

Medicamentos – O uso de certos tipos de remédios pode acarretar em episódios de tristeza profunda e se transformar com o tempo em um quadro depressivo. Remédios como Prolopa ou Xanax diminuem a quantidade de serotonina no organismo, ocasionando a depressão em alguns casos. 

Desequilíbrio dos hormônios – Embora a depressão possa atingir qualquer pessoa e qualquer idade, as mulheres têm uma tendência a sofrer mais dessa doença. Isso acontece porque a diminuição do hormônio estrogênio potencializa a depressão. Entre as mulheres, esse hormônio sofre uma grande diminuição durante a gravidez e durante a menopausa, por isso, elas são mais suscetíveis a sofrer de depressão do que os homens. 

Doenças – Condições ruins de saúde e tudo que pode se complicar com sentimentos de incerteza sobre o dia do amanhã, como o enfrentamento a tratamentos demorados e algumas vezes dolorosos, assim como o convívio diário com uma possibilidade de morrer antes da cura, são fatores que podem levar o paciente a depressão. 

Problemas sociais – Muitas vezes, viver em um grupo repleto de pessoas tão diferentes umas das outras, pode ser um grande desafio.

Mas para alguns é um tormento. Pessoas muito diferentes daquilo que se espera dentro de uma comunidade podem acabar se sentindo deslocadas. Muitas vezes, elas podem até sofrer preconceito e ser estigmatizadas.

Alguns superam mais fácil que outros, e quando não há muita estrutura psicológica para superar essa rejeição social, pode-se desenvolver a depressão. 

Pontos-chave segundo a OMS

Talvez você já tenha percebido, mas a OMS é norteadora das ideias deste texto, afinal, quem melhor que a Organização Mundial da Saúde para falar sobre uma das doenças que mais afeta o mundo na atualidade? Então veja alguns pontos destacados por ela mesma sobre a depressão:

  • a depressão é um distúrbio mental comum. Globalmente, mais de 264 milhões de pessoas de todas as idades sofrem com depressão;
  • a depressão é uma das principais causas de incapacidade no mundo e é um dos principais contribuintes para a carga global de doenças;
  • mais mulheres são afetadas pela depressão do que homens;
  • há tratamentos psicológicos e farmacológicos efetivos para a depressão moderada e grave.

Fatores de risco

Alguns fatores podem servir de combustível para iniciar a depressão. Podemos citar, por exemplo:

  • problemas hormonais;
  • histórico familiar;
  • traumas psicológicos;
  • problemas no casamento;
  • distúrbios de ansiedade e estresse;
  • doenças neurológicas, cardiovasculares e endocrinológicas;
  • mudanças bruscas na rotina ou estilo de vida;
  • dependência química de substâncias ilícitas e álcool.

Como é feito o diagnóstico?

Antes de considerar que a depressão é o real caso do paciente, o médico precisa descartar todas as outras hipóteses, pois há algumas viroses, doenças e medicações que podem induzir sintomas semelhantes aos da depressão. Portanto o diagnóstico começa por meio de exames físicos.

Paciente mulher recebendo diagnóstico de depressão.
É preciso realizar testes físicos antes de diagnosticar a depressão.

Apesar disso, não existe nenhum exame laboratorial para comprovar a existência do caso clínico de depressão. Isso se dá por meio da eliminação de outras possibilidades, como citado anteriormente, análise do histórico de cada paciente e realização de avaliações psicológicas.

Sintomas da depressão

Os sintomas da depressão são característicos como a tristeza profunda que demora muito para ir embora.

Ela pode acontecer também em picos, uma pessoa com depressão pode ter episódios intercalados entre normalidade e tristeza.

Por esse motivo, pode ser difícil reconhecer a depressão quando sabe-se que pode facilmente ser confundida com um episódio de tristeza que não possui a mesma gravidade que a doença.

Para ter certeza, principiando um diagnóstico informal, alguns sintomas podem ser indicativos de preocupação. Sintomas como: 

  • Fadiga e cansaço excessivos;
  • Fraqueza corporal;
  • Incapacidade para realizar tarefas do cotidiano;
  • Problemas quanto a auto estima;
  • Problemas com o sono;
  • Ideias pessimistas e desejo de morte;
  • Crises de ansiedade;
  • Disfunções sexuais;
  • Dificuldades de concentração;
  • Entre outros.

Etapas da depressão

A depressão possui níveis de gravidade, assim como diversos tipos também. Começando pela etapa mais simples da crise depressiva, temos a de intensidade leve.

Os sintomas são poucos e o sofrimento causado por esse tipo de depressão, embora necessite de atenção, é mais fácil de ser tratado.

Além disso, o paciente diagnosticado com depressão leve tem menos problemas com relação ao seu convívio social e profissional.

Quando na fase leve, o tratamento dificilmente fará uso de medicamentos, o foco nessa fase normalmente é o tratamento a partir de psicoterapia. 

Enquanto que a depressão moderada, como o próprio já diz, já não possui sintomas tão leves quanto a primeira etapa mas também ainda não tão graves. Ela pode ser considerada como uma fase de transição da depressão leve até a fase mais grave.

Por esse motivo, é de fundamental importância buscar ajuda logo no início dos primeiros sintomas, mesmo que ainda pense que pode resolver sozinho.

Mulher jovem conversando com profissional de saúde mental.
Mulher procurando tratamento para depressão.

Algumas pessoas podem superar, mas sempre haverá o risco de haver uma recaída em uma versão pior do que antes. Na fase moderada, especialistas já podem recomendar tratamento à base de medicamentos. 

A última, e mais perigosa, é a fase mais profunda ou grave da depressão. Nesse estágio o paciente já não tem forças para realizar suas tarefas rotineiras, coisas simples como levantar da cama, tomar banho, escovar os dentes podem parecer muito difíceis de se realizar.

Prazeres de antes já não fazem mais a menor diferença na vida de uma pessoa que passa por esse tipo de depressão. Aqui o tratamento é combinado entre psicólogo e psiquiatra.

E já são receitados remédios, dependendo do caso podem ser combinados mais de um tipo de medicamento, como antipsicóticos e estabilizadores de humor. 

Como é o tratamento da depressão?

Como já foi explicado anteriormente, o tratamento deverá ocorrer de acordo com o quadro do paciente. Após avaliação minuciosa de um especialista é que se deve estabelecer o melhor tratamento.

Consiste em vários tipos de remédios com objetivos diferentes, além de análise de histórico familiar, diálogos para investigação de possíveis focos de gatilhos na vida da pessoa depressiva. 

O tempo de tratamento também é determinado por essa avaliação. O médico administra o tempo necessário para que o paciente comece apresentando melhoras. 

O método de psicoterapia deve ser combinado aos antidepressivos. Através desse método, os pacientes são influenciados a realizar pequenas ações em seu dia a dia que sejam representações de pequenas vitórias.

Homem realizando psicoterapia.
O tratamento da depressão deve acontecer em uma união da psicoterapia e antidepressivos.

Dessa forma, o paciente acaba voltando à normalidade aos poucos e a melhora passa a ser significativa em sua vida. 

Além da psicoterapia e TCC (Terapia cognitivo comportamental), é de extrema importância que o paciente desenvolva uma mudança nos hábitos diários.

Como pode ser feita a prevenção?

A depressão tem sido cada vez mais comum entre a população, seja pelo momento atual quando lidamos com tantas notícias ruins, ou por dificuldades pessoais para assimilar tantas situações novas e lidamos com a atual efemeridade de tudo o que antes parecia mais importante.

Por esse motivo, é muito importante que todos se atentem a pequenos hábitos que podem evitar ou mesmo ajudar quem já se encontra em alguma das fases da depressão. 

Certas atitudes serão úteis não apenas para evitar a depressão mas como um auxílio na melhora da saúde como um todo. 

  • Prática de exercícios físicos;
  • Manter relações sociais saudáveis;
  • Cuidar da alimentação;
  • Não menospreze seus sentimentos, cuide-se;
  • Mantenha suas horas de sono com qualidade;
  • Tenha um passatempo que te deixe feliz;
  • Entre outros.

Você reconhece os sintomas da depressão em você ou em alguém? No BoaConsulta você encontra os melhores Psicólogos e Médicos psiquiatras especialistas em depressão, agende sua consulta online e seja atendido por videochamada ou presencialmente.

Histórias recentes

Postagens similares

5 Comments

  1. Rayssa Clara de Alquemim disse:

    Entao não sou eu é o meu namorado , ele tem todos esses sitomas acima e a cada dia ele piora , as vezes eu consigo ajudar ele e fazer com que ele melhore mas ele tem problemas com o pai dele desde pequeno

  2. Tomás Manuel Aguiar Menéres disse:

    Tudo o que li, passasse comigo. Preciso urgentemente dum apoio. Estou com depressão profunda

  3. Equipe Boa Consulta disse:

    Olá, como vai Tomás? Espero que bem!

    Buscar ajuda é sempre o melhor caminho a ser seguido, aqui no BoaConsulta você pode encontrar os melhores Psicólogos Especialistas em Depressão.

  4. Janaina Nunes Da Silva disse:

    Olá me chamo janaina sinto uma tristeza grande dentro de mim e isso acontece frequente e penso em suicídio todos os dias.

  5. Equipe Boa Consulta disse:

    Olá Janaina.
    Estes sintomas podem ser em função de algum gral de depressão, a nossa recomendação é que compartilhe isso com seus familiares, assim poderá contar com o apoio dos mesmo.
    Além disso, buscar ajuda profissional é o mais indicado, aqui no BoaConsulta você encontra especialistas em depressão para atendimento presencial ou online.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.