Quais são os sintomas de infarto em mulheres? Descubra como reconhecer e o que fazer em uma emergência!

Os sintomas de infarto na mulher não costumam ser fáceis de identificar como acontecem nos homens, nas mulheres os sintomas costumam ser mais silenciosos, facilmente confundidos com problemas mais simples, mas é preciso ficar atenta, afinal a taxa de mortalidade feminina pelo quadro de ataque cárdico vem aumentando em número galopantes.

Em homens é comum sintomas como uma dor muito forte no peito, em forma de aperto, que surge na região do coração, mas que irradia para o braço, maxilar ou estômago. Já nas mulheres, sintomas como cansaço excessivo, alteração nos batimentos cardíacos, mal-estar geral e sensação de falta de ar, podem estar associados ao infarto.

Dessa forma, muitas mulheres podem estar tendo um ataque cardíaco, mas confundi-lo apenas por um problema menos grave, como uma gripe ou até uma má digestão.

Estudos recentes nos apresentam uma realidade preocupante, uma a cada cinco mulheres tem risco de sofrer um infarto, além disso, as mulheres possuem 50% de chances maiores que os homens de sofrer um infarto e cerca de 30% dos casos de infarto têm o público feminino como vítimas.

Mulher segurando coração simbolizando infarto.
Mulheres possuem 50% mais chances de ter um infarto que homens.

Segundo o instituto Hcor, esse crescente número acontece em função das mulheres estarem a cada ano mais expostas ao risco, pois cerca de 40% apresentam aumento da cintura abdominal, mais de 20% fumam, 18% são ex-fumantes, 23% têm seus níveis de pressão arterial acima do preconizado e 21% possuem alteração dos níveis de colesterol.

Ainda sobre esses dados, a Organização Mundial da Saúde (OMS) nos revela que doenças cardiovasculares, ligadas a hábitos ruins debilitantes da saúde feminina, são responsáveis por 1/3 de todas as mortes femininas no mundo, revelando cerca de 8,5 milhões de óbitos, em torno de 23 mil por dia.

Diante de dados tão alarmantes, conhecer os sintomas de um infarto na mulher é fundamental, sendo assim, nós do BoaConsulta, preparamos um post completo, com os principais sintomas de um ataque cardíaco em mulheres, confira.

Sintomas de infarto em mulheres

Os sintomas de infarto nas mulheres podem ser comuns, assim como nos homens, podendo estar relacionados a uma dor no peito, dormência nos braços e mãos entre outras coisas, mas em grande parte dos casos, os sinais são incomuns, veja quais são a seguir.

Os sintomas de infarto nas mulheres são:

  • Enjoo e mal-estar geral;
  • Cansaço excessivo sem causa aparente;
  • Sensação de falta de ar;
  • Desconforto na garganta, como se tivesse algo preso nesta região;
  • Dor ou desconforto no queixo;
  • Batimentos cardíacos irregulares;
  • Sensação de peso em um dos braços;
  • Arritmia.

Sintomas de ataque cardíacos comuns em mulheres e homens:

  • Dor no lado esquerdo do peito, em forma de aperto, pontada ou peso, que pode irradiar para o pescoço, axila, costas, braço esquerdo ou até mesmo, braço direito;
  • Dormência ou formigamento no braço esquerdo;
  • Dor de estômago, sem relação com alimentos;
  • Dor nas costas;
  • Mal-estar;
  • Enjoos e tonturas;
  • Palidez e suor frio;
  • Dificuldade para respirar ou respiração rápida;
  • Tosse seca;
  • Dificuldade para dormir;
  • Desmaio sem causa aparente.

Ainda sobre os sintomas do ataque cardíaco, é preciso compreender que estes podem surgir separados, ou em conjunto. Por exemplo, a mulher pode sentir apenas dor no peito ou falta de ar, mas pode sentir esses sintomas em conjunto com a dormência nas mãos e braços, sendo assim, não existe uma regra para o surgimento dos sintomas.

Esses sintomas irregulares, muitas vezes brandos, podem levar a mulher a pensar que não se trata de nada sério, fazendo com que a pessoa deixe de procurar atendimento médico de imediato, prejudicando a agilidade do diagnóstico, algo que é fundamental para evitar sequelas ou até mesmo o óbito.

Quando devo me preocupar?

O infarto nas mulheres pode ser silencioso e se camuflar em sintomas simples, sendo assim, sempre que notar algo incomum, principalmente relacionados aos sintomas citados a cima, procure um atendimento médico o mais rápido possível.

E claro, nem sempre a dor no peito ou mal-estar significa que você esta tendo um infarto, mas nesses casos, ir e tirar a dúvida pode ser sinônimo de vida ou morte.

Leve sempre o seu histórico familiar de doenças cardíacas, pressão alta, colesterol alto ou infarto na família em conta. Afinal, com essas características as chances são ainda maiores de você sofrer um infarto.

O que fazer se estiver tendo um infarto?

O infarto vem muitas vezes com sinais, dos quais podem ser observados dias ou semanas antes que realmente venha ocorrer o ataque cardíaco, sendo assim, a primeiro coisa é conhecer e observar os sinais.
Mas caso alguém ou você esteja infartado, a primeira coisa a se fazer é ligar 192 (número do SAMU), e mesmo que seja difícil, sente-se e mantenha a calma, se possível peça ajuda para amigos, familiares e vizinhos.

Ao estar infartando siga os seguintes passos:

  • Ligue para o serviço de emergência 192 SAMU
  • Sente-se e recoste a cabeça no sofá, cadeira ou cama;
  • Mantenha a calma;
  • Afrouxe as roupas.

Ao ligar para o atendimento de urgência, o profissional ira passar todas as orientações, bem como se for necessário, o auxiliara nos primeiros socorros, fundamentais para salvar a vida da pessoa.

No entanto, ao sentir os sintomas citados anteriormente, procure auxílio médico, não aguarde até que algo ruim aconteça, jamais ignore os sinais que o seu corpo dá.

Qual é o grupo de risco em mulheres?

Os grupos de risco de um infarto são semelhantes entre homens e mulheres, mas no caso das mulheres é preciso ficar atento a fatores como uso de medicamentos, idade, menopausa e estilo de vida adotado pela mulher.

Os grupos de risco de infarto em mulheres são:

  • Obesidade;
  • Idade superior a 45 anos;
  • Níveis de colesterol elevados;
  • Histórico de infarto na família.
  • Pessoas sedentárias;
  • hipertensão;
  • diabetes;
  • estresse;
  • tabagismo;
  • Uso de pílulas anticoncepcionais;
  • Menopausa.

Outro ponto muito importante de grupos de risco envolvendo mulheres, é que o hábito de fumar em associação ao uso de pílulas anticoncepcionais, torna-se uma combinação trombogênica, ou seja, torna mais propicio a formação de coágulos, capazes de obstruir vasos, podendo culminar em um infarto.

E como ultimo ponto, gostaríamos de destacar a menopausa nas mulheres, momento em que a mulher perde a proteção vascular gerada pelos hormônios femininos, como o estrogênio, capazes de manter a dilatação normal das veias, facilitando a circulação da corrente sanguínea e proteção do endotélio, tecido que reveste o interior dos vasos.

Precisa fazer um chek-up no seu coração? Aqui no BoaConsulta você encontra os melhor médicos cardiologistas, agende a sua consulta através do site ou aplicativo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima