tipos de psoríase.
|

Quais são os tipos de psoríase? Aprenda a reconhecer suas características!

Doença autoimune, a psoríase é um camaleão, pois pode impactar pessoas diferentes de formas variadas. Por isso, preparamos um post para que você entenda quais são os tipos de psoríase existentes e como buscar o diagnóstico correto.

Uma doença que afeta pessoas de qualquer idade, a psoríase pode ser uma quadro complicado de identificar e tratar, mas é comum. Geralmente, pessoas com idades entre 15 e 35 anos podem descobrir que são portadoras da doença.

Além disso, é importante compreender que, além da idade, fatores biológicos são determinantes para entender sua origem, já que a condição pode ser transmitida para as próximas gerações de uma família – é estimado que a genética influencie em 30% dos casos existentes.

Neste post, separamos os tipos de psoríase para você encontrar o melhor tratamento. Continue a leitura para saber mais!

O que é a Psoríase?

A psoríase é uma doença de pele não contagiosa, crônica, relativamente comum e uma que apresenta um quadro cíclico – isto é, é uma doença cujos sintomas aparecem e desaparecem periodicamente de acordo com as condições imunológicas de um paciente.

Ela também é caracterizada por ser uma doença autoinflamatória da pele, na qual, por predisposição genética, juntamente a fatores de comportamento ou ambientais, culminam no surgimento de lesões avermelhadas e que descamam a pele. Sempre que aparecer uma mancha parecida com a descrita no parágrafo, é melhor prestar atenção!

Pessoa com psoríase na mão.

Além disso, quadro de psoríase também podem estar ligados diretamente a outras doenças, como condições de origem cardiometabólicas e/ou gastrointestinais, distúrbios de humor e até mesmo alguns tipos de cânceres.

Tudo isso, infelizmente, diminui a qualidade de vida de um paciente. E, em alguns casos, contribui com a diminuição da expectativa de vida, algo que pode ser contornado com um bom tratamento.

Quais os tipos de psoríase?

Como a psoríase é uma doença do sistema imunológico, ela pode se manifestar de formas diferentes nas pessoas. Por isso, existem vários tipos de psoríase. Ao todo, o quadro pode se manifestar de de oito tipos distintas:

  1. Artropática
  2. Do Couro Cabeludo
  3. Eritrodérmica
  4. Gutata
  5. Invertida
  6. Pustulosa
  7. Ungueal
  8. Vulgar

Nesta seção, você vai conhecer todos os tipos de psoríase e entender por que o tratamento de qualquer um dos quadros é a melhor opção para a sua saúde e bem-estar. Acompanhe:

1. Artropática

Por fim, a psoríase artropática, que se manifesta nas articulações de um paciente. Este quadro causa fortes dores nas articulações, mais comumente ao iniciar o movimento da articulação, mas tendem a tende a melhorar com o movimento contínuo das articulações.

Psoríase Artropática.
A psoríase artropática geralmente está associada a comprometimento articular, podendo também surgir de repente como uma simples dor nas pontas dos dedos das mãos e dos pés, ou nas grandes articulações como a do joelho. (Créditos da imagem: James Heilman, MD, CC BY-SA 3.0 https://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0, via Wikimedia Comm)

Esta psoríase pode causar rigidez progressiva e até deformidades permanentes, como mencionado anteriormente, e também afeta qualquer articulação do corpo, podendo, inclusive, atingir a coluna vertebral.

2. Do Couro Cabeludo

A psoríase do couro cabeludo é indicada ao surgirem áreas avermelhadas com escamas espessas branco-prateadas. Este quadro piora quando o paciente coça a pele, uma de suas principais características.

psoríase do couro cabeludo
Além da região do cabelo, a psoríase do couro cabeludo pode se estender para além da linha do cabelo, surgindo na testa, nuca e nas orelhas. (Créditos da imagem: Masryyy, CC BY-SA 4.0 https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0, via Wikimedia Commons)

Um paciente com este tipo de psoríase também pode perceber os flocos de pele morta em seus cabelos ou em seus ombros, especialmente depois de coçar o couro cabeludo. É muito similar à caspa.

3. Eritrodérmica

A psoríase eritrodérmica é uma das menos comuns. Geralmente, ela é a que se manifesta no corpo com o surgimento de manchas vermelhas que podem arder intensamente ou coçar, levando a manifestações como febre e calafrios.

psoríase Eritrodérmica
A psoríase editordérmica é conhecida como a mais perigosa e rara dentre os tipos de psoríase. (Créditos da imagem: Flickr/Reprodução)

Esse tipo de psoríase pode ser desencadeada por queimaduras graves, infecções, por outro tipo de psoríase mal-controlada ou por tratamentos intempestivos (por exemplo, quando há o uso ou retirada sem desmame de remédios com corticosteroides).

Ela também pode ser conhecida como um quadro grave da doença e, muitas vezes, pode requerer internação hospitalar para controlar seus efeitos.

4. Gutata

A psoríase gutata é desencadeada por infecções bacterianas, como as de garganta. Suas principais características são o surgimento de pequenas feridas em forma de gota no couro cabeludo, nos braços, nas pernas e no tronco. 

psoríase gutata tipos de psoríase
A psoríase Gutata é caracterizada por pequenas lesões em forma de gotas. Geralmente, aparecem no tronco, braços e coxas. (Créditos da imagem: LadyZatar, CC BY-SA 4.0 https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0, via Wikimedia Commons)

Geralmente, essas feridas são cobertas por uma fina escama – diferentemente das placas típicas da psoríase, que são mais grossas. Este tipo de psoríase é mais comum em crianças e jovens até os 30 anos de idade e pode melhorar espontaneamente.

5. Invertida

A psoríase invertida é um tipo que atinge, principalmente, as áreas úmidas e dobra da pele, como as axilas, a região debaixo dos seios e a virilha. Ela é caracterizada pelo surgimento de manchas inflamadas e vermelhas, mas sem a descamação grosseira que existe nas lesões da psoríase no restante do corpo. 

psoríase invertida
A psoríase invertida é mais frequente em órgãos genitais. (Créditos da imagem: Evilarcanex, CC BY-SA 3.0 https://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0, via Wikimedia Commons)

O quadro de psoríase invertida pode agravar em pessoas obesas ou em pessoas que sofrem por sudorese excessiva e/ou têm atrito nas regiões do corpo mais suscetíveis.

6. Pustulosa

Nesta forma de psoríase, ocorre o surgimento de pústulas – ajudando a dar o seu nome. Pústulas são pequenas bolhas que parecem conter pus, e elas costumam a aparecer sobre a pele que fica intensamente avermelhada.

Psoríase pustulosa.
Quadro incomum da doença, este tipo de psoríase pode aparecer como uma reação a uma infecção, estresse, medicamentos específicos ou contato com certos componentes químicos. (Créditos da imagem: Roland Tanglao, CC BY 2.0 https://creativecommons.org/licenses/by/2.0, via Wikimedia Commons)

Este tipo de psoríase pode aparecer em todas as partes do corpo ou em áreas específicas, como, por exemplo, mãos, pés ou dedos (chamada de psoríase palmoplantar).

Neste quadro, o desenvolvimento da psoríase acontece rapidamente, com bolhas de pus que aparecem poucas horas depois de a pele começar a aparecer avermelhada.

Geralmente, estas mesmas bolhas secam entre um e dois dias, mas podem reaparecer durante mais dias ou semanas. A psoríase pustulosa também pode causar febres, calafrios, fadiga e coceira intensa. É uma dos tipos mais perigosos e mortais do quadro.

7. Ungueal

Já a psoríase ungueal é um dos tipos de psoríase que pode afetar tanto as unhas das mãos quanto dos pés do paciente.

psoríase nas unhas
Em alguns casos, a psoríase consegue até mesmo descolar a unha de uma pessoa. (Créditos da imagem: JVO27, CC BY-SA 4.0 https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0, via Wikimedia Commons)

Nela, as unhas vão crescendo de forma anormal, também mudando de cor, engrossando, escamando.

8. Vulgar

Também conhecida como psoríase em placas, a psoríase vulgar é aquela mais comum. Nela, são formadas placas secas, avermelhadas com escamas prateadas ou esbranquiçadas. Geralmente, essas placas coçam e, algumas vezes, também podem doer.

A psoríase vulgar é conhecida por fazer a pele do paciente rachar. (Créditos da imagem: User:The Wednesday Island [of the English Wikipedia], CC BY-SA 3.0 http://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/, via Wikimedia Commons)

Elas são mais comuns surgirem nos cotovelos, couro cabeludo, joelho, região lombar e cicatriz umbilical, mas, relembrando, podem aparecer em qualquer lugar do corpo – incluindo nos órgãos genitais. Nos casos mais graves, a pele pode rachar e sangrar.

Você acha que está com psoríase? O que fazer?

De acordo com dados da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), mais de 2 milhões de brasileiros sofrem com a doença. Caso desconfie de manchas vermelhas e coceira excessiva na pele, o mais indicado é contar com um bom dermatologista para examinar você.

Você está procurando um dermatologista? Aqui no BoaConsulta você encontra os melhores Médicos dermatologistas! Seja para consultas presenciais ou online.

Histórias recentes

Postagens similares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.