Imagem ilustrativa causas do TOC.
|

Descubra quais as principal causas do TOC de acordo com a ciência!

Descobrir as causas do TOC, tem sido um desafio e tanto para a ciência, entender as relações multiplas das quais podem culminar no surgimento da doença, talvez seja o melhor caminho, até o presente momento.

Para os especialistas em TOC, as causas do transtorno, podem ter relação direta com a predisposição genética, alterações funcionais e neuroquímicas cerebrais, desequilíbrios psicológicos devido à forma que o individuo aprendeu a lidar com seus medos, ansiedades e frustrações, traumas cerebrais, experiências com doenças infecciosas ou autoimunes e etc.

Especialistas no assunto, também levantam o papel do cerebro, como agente causador do TOC. Frequentemente o quadro clínico está associado a indivíduos com pesperctivas distorcidas da realidade, isto é, exagero ao lidar com riscos e responsabilidades, complexidade ao lidar com a incerteza, abominar e exagerar a possbilidade de cometer ou ser responsável por falhas e crenças irracionais de alteração de cursos naturais da vida com rituais e ações.

E para embasar esse argumento, especialistas nos apresentam a efetividade de medicamentos serotonérgicos, como um forte aliado para a redução considerável dos sintomas de TOC. Estudos recentes, foram capazes de determinar as áreas cerebrais, envolvidas nos processos do transtorno, bem como suas “anomalias” neurofisiológicas envolvidas.

E com base nos estudo mais recentes, cientistas e especialistas, estão começando a ser capazes de propor modelos descritivos e fisiopatológicos de mapeamento do fenômeno. Além disso, as atribuições das abordagens cognitivo-comportamental, tem contribuído muito para o estudo e gerenciamento do transtorno.

Ilustração tratamento TOC.
O TOC pode ser tratado com medicamentos e psicoterapia.

Ainda sobre o papel do cérebro, como principal causa do TOC, a ciência nota um certo padrão, relacionando os casos com fatores genéticos.

Isto é, a predominância em membros da mesma família, principalmente quando o sintoma começam a surgir ainda de forma precoce, além disso, o tipo predominando é o colecionismo.

Vale ressaltar, que os recentes estudo ainda não são capazes de determinar os genes envolvidos ou mecanismo de sua transmissão genética.

Com esse apanhado geral das possiveis causas do TOC, vamos compreender melhor as principais e mais provaveis de uma forma mais prática, continue lendo.

Anomalia na função serotonérgica

Com o avanço dos estudos, descobriram-se evidências de anormalidades da neuroquímica cerebral, mais especificamente na função serotonérgica, relacionada ao Transtorno Obsessivo Compulsivo.

Medicamentos inibidores da recaptação da serotonina (IRSs) na fenda sináptica, e os inibidores seletivos da recaptação de serotonina (ISRSs), reduzem os sintomas do TOC, após pouco tempo de inicio de tratamento.

Mulher jovem tomando remédio para TOC.
Medicamentos Inibidores de Recaptação de Serotonina ajudam no tratamento de TOC.

Não apenas nos estudos, mas a utilização de medicamentos inibidores de receptação de serotonina frequentemente se apresenta como um tratamento de primeira linha para o transtorno.

Alguns estudos também demonstram que agonistas da serotonina, que impedem a ligação da serotonina com os seus receptores, devem diminuir a atividade serotonérgica, podendo causar uma aguda exacerbação dos sintomas de TOC.

Esta evidencia nos interam do papel de anomalias serotonérgicas, para o surgimento do transtorno, desencadeando uma situação patofisiológica do TOC. Além disso, nos coloca a prova o papel da serotonina, para o surgimento o agravamento do transtorno.

Doenças e traumás neurológicos

Registros aos longo da história, demonstram que traumas cerebrais ou doenças como encefalites, Derrames ou acidentes vasculares cerebrais e lesões cranioencefálicas tendem a preceder os sintomas do TOC.

Registros da história científica da Primeira Guerra Mundial e nos anos que se sucederam na Europa, nos apresentam uma epidemia de encefalite letárgica, aguda para a sonolência.

Diversos sobreviventes apresentavam, ao lado de sequelas neurológicas pós-encefalíticas, tiques motores e comportamentos ritualísticos, caracterizando também, pensamentos obsessivos e comportamento compulsivos.

Outros danos ou anomalias descritas como potenciais causas do TOC são:

  • Toxocoplasmose;
  • Paralisia supranuclear progressiva;
  • Doença de Parkinson;
  • Esclerose múltipla;
  •  Doença de Wilson;
  • Trombose do seio cavernoso;
  • Infarto dos gânglios basais;

Transtorno de tiques ou Síndrome de Tourette

A associação do TOC, com psicopatologias como o tique e a Síndrome de Tourette, possui uma taxa de aceitação muito alta, para a comunidade científica.

Ocorrendo em um percentual considerável da população, caracteriza-se como um subtipo de TOC muito especifico.  Segundo o DSM V (Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais) essas comorbidades, parecem atingir indivíduos de formas diferentes.

Os dados nos mostram que 20 a 60% dos portadores de tiques preenchem critérios para TOC e 20 a 38% das crianças com TOC relatam tiques (compulsivos).

Normalmente está associação do TOC com os tiques ou ST, possui um inicio precoce, ou seja, afetando crianças e adolescentes, com uma predominância maior no sexo masculino.

Como características temos as obsessões de conteúdo agressivo e sexual, obsessões e compulsões por simetria e exatidão, além de compulsões semelhantes a tiques, como bater, tocar, raspar e piscar, precedidos por fenômenos sensoriais.

Fato é que a semelhança e relação entre as psicopatologias, comprometem os diagnósticos precisos, sugerindo que os transtornos, estejam diretamente ligados a áreas próximas do cérebro.

Fatores psicológicos e crenças distorcidas

Existem inumeras causas para o TOC, mas talvez uma das mais bem aceitas, são as causas psicológicas de aprendizagem e educação para atuação frente as adversidades que um inidividuo pode enfrentar ao longo de sua vida.

Tais argurmentos recebem embasamento, devido a extrema eficiencia de terapias com objetivo de reeducação comportamentais e releituras de crenças, no tratamento do TOC.

A capacidade de tratamentos, com abordagens como a terapia cognitivo-comportamental, é no minimo semelhante aos tratamentos medicamentósos, inibidores de recaptação de serotonina e em sintomas compulsivos, tende a ser superior.

70% dos pacientes que optam por tratamentos, de cunho psicológico, isto é , com terapias comportamentais, tendem a melhorar significativamente os sintomas obsessivos-compulsivos, e em sua grande maioria, obtem uma remissão quase que total.

Terapeuta e Paciente conversando.
Homem passando por processo de terapia cognitivo-comportamental para lidar com o TOC.

Sabe-se que pecientes com TOC, tendem a alimentar pensamentos obsessivos e realizar ações compulsivas, com objetivo de aliviar a ansiedade, agústia e medo gerado por eles. Sendo assim, a continuidade das ações em busca de alivio, reforçam as caracteristicas do sintomas de TOC, tornando ainda mais desafiador.

E normalmente pacientes com TOC, costumam ter uma interpretação exagerada das situações, muitas vezes distorcendo a realidade e gravidade do que ocorreu ou pode ocorrer com ele ou terceiros. Tornando a pessoa preocupada, perfeccionista e contribui para que pensamentos mágicos e ilusórios ocorram sem um julgamento adequado.

Uma vez com esses sintomas, uma abordagem por meio da TCC, tende a criar ferramentas de validação para o paciente, para que o mesmo possa criar questionamentos validos a respeito de sua reação, diante de certas situações. Bem como procurar obter uma exposição ativa aos agentes, responsaveis por gatilhos do TOC, a ponto de o paciente aprender a controlar o seu medo e viver essa situação de forma consciente.

Genática

 Ainda não se tem um consenso a respeito da ocorrência do TOC, por meio de fatores genéticos, mas temos como base a constatação do risco superior, para indivíduos com TOC e de parentescos de primeiro grau. E gêmeos monozigóticos.

Estes riscos da “transferência” genética, para indivíduos de uma mesma família, aumentam 4 a 5 vezes mais, quando comparamos a ocorrência na população em geral.

As chances do desenvolvimento são maiores quando o TOC é de início precoce e quando a manifestação, predominante é o colecionismo, mas a natureza da alteração genética, os genes envolvidos e o mecanismo de sua transmissão ainda não foram esclarecidos.

Conclusão

Podemos concluir que as causas para o TOC, ainda são dificeis de se definir, mas podemos constatar que a ocorrencia em seus diferentes graus e tipos, são compostas por um conjunto de fatores distintos ou combinados.

Precisa realizar o diagnóstico ou tratamento de TOC? Aqui no BoaConsulta você encontra os melhores psicólogos e médicos psiquiatras e especialistas em TOC, agende sua consulta online e seja atendido por videochamada ou presencialmente.

Histórias recentes

Postagens similares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.