O retorno da circulação do sarampo no Brasil é uma das notícias mais preocupantes da atualidade. Essa doença infecciosa aguda, transmitida por um vírus altamente contagioso e que pode desencadear consequências graves à saúde, tinha sido considerada eliminada do país em 2016.

Apesar da disponibilização da vacina de forma gratuita pelo Sistema Único de Saúde, a taxa de crianças vacinadas não está sendo atingida. É nessa população que o sarampo manifesta problemas mais graves, especialmente nas crianças menores de um ano ou desnutridas. Em algumas regiões do mundo, essa é uma das doenças que mais matam menores de cinco anos.

Quer descobrir mais informações importantes sobre o sarampo e como preveni-lo? Continue a leitura e confira!

Quais são os sintomas do sarampo?

As principais manifestações do sarampo incluem:

  • manchas brancas na mucosa oral;
  • manchas vermelhas pelo rosto e corpo;
  • muita coceira;
  • febre acima de 38,5°C;
  • dor de cabeça;
  • tosse;
  • coriza;
  • conjuntivite.

As crianças, por terem um sistema imunológico mais frágil, podem sofrer com manifestações mais graves da doença e suas complicações, como pneumonias, convulsões e até morte.

O que causa o sarampo?

Por ser uma doença viral, o sarampo é facilmente transmitido por meio de secreções, como gotículas provenientes da fala, do espirro ou da tosse. O pico de transmissão ocorre na sua fase mais ativa, quando o paciente contaminado apresenta os sintomas agudos.

Por esse motivo, fatores como a aglomeração de pessoas, que favorece o maior contato com os doentes, aumentam os riscos de transmissão da doença. Além disso, a situação nutricional e imunológica de cada pessoa também interfere no contágio.

Atualmente, estamos passando por um surto de Sarampo no Brasil. Muitos casos já foram registrados no Amazonas e em Roraima. No Rio Grande do Sul, alguns casos da doença já foram registrados e estados como o Rio de Janeiro e São Paulo estão investigando diversos quadros suspeitos.

Como prevenir essa doença?

Para evitar a infecção pelo sarampo, a vacinação é a única medida disponível. São duas as vacinas presentes tanto na rede pública como privada para prevenir a doença. São elas:

  1. a tríplice viral: que protege contra o sarampo, rubéola e caxumba;
  2. a tetravalente: que fornece proteção ao paciente contra as três doenças citadas e também contra a catapora.

O esquema vacinal para crianças de 1 até os 5 anos de idade incompletos é de uma dose aos 12 meses da tríplice viral e outra dose aos 15 meses de idade da vacina tetravalente. Para as crianças de 5 a 9 anos que não foram vacinadas na idade recomendada, duas doses de tríplice viral devem ser aplicadas. Para as pessoas de 10 a 29 anos, a recomendação é a mesma.

Se você tem de 30 a 49 anos e nunca foi vacinado contra o sarampo, deve receber uma dose de tríplice viral. Procure o seu médico para receber maiores orientações.
A proteção fornecida pela vacina contra o sarampo é elevada e mais de 90% dos vacinados ficarão imunes por um período duradouro.

Ademais, ela é muito segura. Algumas contraindicações, todavia, existem. Confira se você não está nesse grupo antes de tomá-la:

  • caso suspeito de sarampo;
  • imunossuprimido ou imunodeficiente;
  • menores de seis meses;
  • gestantes.

Prevenir o sarampo por meio da vacinação é indispensável para evitar e conter o número de infectados por essa doença. Verifique sua carteirinha de vacinação, vacine os seus filhos e procure sempre um médico para que ele oriente qual a melhor forma de se prevenir contra doenças infecciosas!

Gostou do nosso post? Então, compartilhe-o nas suas redes sociais para que todos os seus amigos conheçam a importância da prevenção do sarampo!

 


Escreva um comentário

Share This